Maigue Gueths
De Curitiba
Uma mulher doente mental, de aproximadamente 30 anos, que estava perambulando no meio da BR-116, acabou causando um grande acidente, com engavetamento de quatro caminhões e um carro Ford Fiesta, ontem pela manhã, em Curitiba. Os motoristas dos caminhões saíram ilesos, mas dois ocupantes do Fiesta placas ACD 9800, de Arapongas (37 quilômetros a Oeste de Londrina), morreram no local e outros dois ficaram gravemente feridos.
O acidente ocorreu por às 9h50, na pista de sentido São Paulo-Curitiba, próximo à Vila Zumbi dos Palmares, no bairro Atuba. A pista ficou interditada até o meio-dia, causando um congestionamento de mais de dez quilômetros em um sentido da rodovia. No outro, a pista também foi interrompida por cerca de uma hora por causa da aglomeração de curiosos no local.
Segundo testemunhas, os veículos foram obrigados a parar na pista porque a doente mental, que é moradora da Vila Zumbi, estava caminhando na estrada. Antes do acidente, quatro veículos conseguiram parar, sendo três caminhões: o Mercedes Benz placas ATT 0088, de Pinhais, conduzido por Gerson de Oliveira Harami, de 32 anos, da Transportadora Tespal; o Mercedes Benz 1618 placas LZY 3354 de Margeão (SC), conduzido por Edson de Andrade, 35 anos, da Transportadora Sabadin, e o Mercedes Benz 1518 placas BXB 8915 da Expresso Joaçaba (SC), dirigido por José Vieira da Rosa, 57 anos. Só o último veículo ficou bastante amassado, na frente e traseira, mas os motoristas saíram ilesos.
O último a parar foi o Ford Fiesta, que ficou prensado entre o veículo da frente e o caminhão Volvo de Guabiruba (SC), placas LYP 4746, conduzido por Glicério Luiz Bogo Junior, 20 anos, que não conseguiu frear a tempo. O caminhão pertence a Eládia Vargas Fischer.
O motorista do Fiesta, Cácio Dusilek, que faria 58 anos hoje, e Sueli Regina Trecossi Brasil, 38 anos, morreram no local. A esposa de Cácio, Maria Celeste, de 57 anos, e o garoto Lucas Trecossi Brasil, 11 anos, filho de Sueli, foram encaminhados em estado grave para o Hospital Cajuru. À tarde, a assessoria do hospital informou que os dois foram encaminhados para exames e que não corriam risco de vida.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma irmã de Cássio Dusilek afirmou que não conhecia a mulher e o garoto que viajavam com o casal, mas pela documentação apresentada todos devem ser moradores de Arapongas.