Paulo Ubiratan
De Londrina
O presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Londrina irá denunciar, hoje, no Ministério do Trabalho, 11 empresas que teriam mantido as portas abertas ontem, contrariando convenção de trabalho firmada em dezembro do ano passado. Segundo o presidente do sindicato dos empregados, José Lima, na convenção firmada com o Sindicato do Comércio Varejista (Sincoval), a empresa que trabalhasse no dia 19 de dezembro de 1999 (domingo) daria folga para seus funcionários no dia 17 de janeiro.
‘‘Temos denúncias de que entre 10 e 12 empresas trabalharam normalmente ontem, contrariando um compromisso firmado entre patrões e empregados. Isto é injusto e foge às regras da ética com prejuízo ao trabalhador’’, afirmou José Lima. Ele não quis fornecer os nomes para não cometer injustiça, pois ainda não tem denúncias formais dos funcionários das empresas infratoras.
Na convenção, os patrões alegaram que a negociação seria boa para todos (empregados e patrões), pois eles trabalhariam no último domingo antes do Natal – com grande possibilidade de vendas – e folgariam em janeiro, quando o comércio normalmente está em baixa.
Ontem, em Londrina, funcionaram os bancos, órgãos públicos, indústrias, lojas dos shoppings e farmácias que não assinaram a convenção. O shopping Royal Plaza fechou no domingo para manutenção, mas ontem voltou a funcionar normalmente. O shopping Catuaí também funcionou normalmente durante o dia de ontem.
A Folha tentou falar com o presidente do Sincoval, Sinésio Scudeler. Ele não foi encontrado na sua empresa e no sindicato que, em virtude da convenção, não funcionaram.