Marcos Zanatta
De Maringá
Os dirigentes da Igreja Só o Senhor é Deus, de Maringá, divulgaram ontem que o ex-presidente da congregação, Miranda Leal, retirou mais de R$ 6,1 milhões das contas da igreja. Inicialmente o valor era de R$ 2,6 milhões. Agora os advogados da igreja esperam extratos mais antigos de bancos onde Leal movimentava a arrecadação feita junto aos fiéis. O valor divulgado ontem é referente a uma conta da Só o Senhor é Deus no Bradesco, no período de junho a novembro do ano passado, e do banco Santander, de março de 97, de março a setembro de 1998 e abril de 99, do Sudameris em outubro de 99 e Itaú em junho de 98.
Para os dirigentes é possível que as retiradas alcancem valores ainda maiores. Pelos extratos, explica o novo presidente da igreja, Darcy Amorim, percebe-se que Leal sacava ou transferia altos valores depois que as contas recebiam os donativos repassados pelas igrejas espalhadas por todo País. Ele diz que, por enquanto, não tem noção de onde o dinheiro sacado por Leal possa estar. Amorim revelou ainda que, depois de novas investidas da direção atual da igreja contra Leal, os representantes dele não fizeram mais contato.
A igreja tenta também retomar um apartamento comprado por Leal ‘‘com dinheiro da igreja’’, no Rio de Janeiro, e um veículo Mercedes, já vendido a uma empresa também do Rio. O apartamento, avaliado em cerca de R$ 750 mil está com a venda proibida. O carro, que Leal mandou blindar, vale aproximadamente R$ 320 mil.
A igreja conseguiu liminar garantindo também a posse da Rádio Difusora de Londrina, que Leal alegava ser dono. Outra Mercedes e um apartamento em Maringá foram vendidos antes da igreja acionar a Justiça. Os dirigentes alegam que não querem o dinheiro de volta, mas mostrar o que aconteceu com a igreja.