Justiça não concede liminar e impede reabertura de clube de Londrina


Rafael Machado - Grupo Folha
Rafael Machado - Grupo Folha

O juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública, Marcos José Vieira, negou liminar nessa quarta-feira (3) para a reabertura do Londrina Country Club, fundado há 73 anos e que funciona na rua Fernando de Noronha, perto da avenida JK, na região central. O clube está fechado desde o final de março. A direção chegou a apresentar um plano de contingência à prefeitura para um retorno gradativo, mas alega que não recebeu resposta do pedido. 


De acordo com o presidente do Country Club, Luciano Bucharles, a alternativa foi procurar a Justiça. Na ação, a associação elencou uma série de medidas de prevenção ao novo coronavírus. Entre os principais itens, estão a entrada máxima de 80 pessoas e redução do horário de funcionamento. Em vez das 6h às 23h, o atendimento seria das 7h às 20h de segunda a sexta-feira e das 8h às 18h aos sábados e domingos. 




Justiça não concede liminar e impede reabertura de clube de Londrina
Londrina Country Club
 


"O clube não é mais o que era antigamente. A pessoa vira sócia para praticar esportes e se manter saudável. Acabou aquela época de festas sociais. Temos 50 mil metros quadrados de terrenos. Se colocarmos o número limite de frequentadores, estaríamos com um distanciamento bem superior ao estipulado pelas autoridades, ou seja, atenderíamos as regras de forma mais rígida", explicou. 


O planejamento prevê o fechamento de churrasqueiras, saunas, parquinho para as crianças, sala de jogos e proibição de esportes com contato físico. Aulas de tênis teriam duração máxima de 50 minutos. Já as de natação aconteceriam com apenas um aluno por raia. O Country também se comprometeu a medir a temperatura de todos os presentes, que só compareceriam à sede com o uso de máscaras. 


O clube possui 60 funcionários, mas, por conta do fechamento, a receita vem caindo. "Tivemos uma queda de 40%. Por enquanto, não precisei mandar ninguém embora. Estamos com serviços, como a limpeza, por exemplo, funcionando normalmente mesmo durante a pandemia. A mensalidade é o único recurso que temos para pagar as contas, que não pararam de chegar. Estou com tudo preparado para reabrir, mas isso depende do poder público", disse o presidente. 


RECREAÇÃO

Para fundamentar a decisão, o juiz citou o decreto do prefeito Marcelo Belinati (PP) que estende a situação de emergência da Covid-19 decretada no município, publicado no dia 4 de maio e prorrogado até agosto. A normativa "resguarda o exercício de serviços públicos e atividades essenciais", o que, para o magistrado, não se aplica ao Country, que "oferta atividades recreativas não classificadas como indispensáveis". 




A entidade social informou que vai recorrer do despacho ao Tribunal de Justiça do Paraná. 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo