SOCIAL E ESPIRITUAL -

Jovens levam 'feira grátis' para a zona leste de Londrina

Ação faz parte do projeto Missão Calebe, que prevê ainda obras no centro de educação infantil do Alexandre Urbanas

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Desde o dia 18 de janeiro, 35 pessoas, a grande maioria jovens, realizam melhorias no no CMEI (Centro Municipal de Educação Infantil) Yolanda Salgado Vieira Lima, no conjunto Alexandre Urbanas, zona leste de Londrina, além de realizar atividades junto à comunidade do bairro. São integrantes do projeto Missão Calebe, promovido pela igreja Adventista do Sétimo Dia. 


Jovens doaram parte das férias para praticar a solidariedade
Jovens doaram parte das férias para praticar a solidariedade | Gustavo Carneiro - Grupo Folha
 


A iniciativa social e espiritual tem mais de dez anos e acontece em toda a América do Sul. Somente no Norte do Paraná são cerca de 2,5 mil participantes voluntários. “O objetivo é que este período seja uma oportunidade dos jovens doarem parte das férias e fazerem o bem. Eles ajudam a comunidade em que estão instalados”, explicaram os líderes do grupo que está na região leste, Thais Andrade Horiye e Erik Yudi Horiye. 




Os integrantes do projeto ficam na instituição de ensino até 2 de fevereiro. Quinze pessoas “moram” no CMEI, enquanto as demais vão conforme podem, em razão do trabalho e outros compromissos. “É para compartilhar. Nós vemos a necessidade imediata, vamos atrás dos recursos, seja com amigos, empresários, colaboradores”, destacou Ronnie Roberto Campos, que também lidera o grupo, que reúne fiéis de igrejas Adventistas que pertencem ao que chamam de “distrito Vila Brasil”. 


Entre as atividades que desenvolvem está a “feira grátis”, em que distribuem frutas, legumes e verduras para os moradores bairro. A ação acontece três vezes por semana, no fim de tarde. 
Os alimentos são coletados na Ceasa e passam por um processo de higienização e secagem. São colocados em carriolas e levados pelas ruas do Alexandre Urbanas. 


“Fomos buscar frutas e legumes na Ceasa para nós e vimos que o arrecadado era mais do que conseguiríamos consumir. Então, veio a ideia de repartir com a comunidade", contou Campos. Os populares não pagam nada e pegam a quantidade que desejam. Entre os hortifrútis estão tomate, limão, berinjela, batata, manga e abacaxi. 


Yara Suzuki, que faz parte das lideranças, conta que a reação das pessoas ao serem abordadas é de surpresa. “Tem gente que não entende, pergunta quanto é. Nós explicamos e depois ficam muito felizes, agradecidos. Nos recepcionam bem”, relatou. 


OUTRAS AÇÕES

Os participantes do projeto também realizam melhorias no CMEI Yolanda Salgado Vieira Lima, como pintura de paredes, limpeza do terreno, criação de horta e reformas em geral. Nos últimos dias saíram entregando panfletos de conscientização contra o mosquito Aedes aegypti. Na semana que vem haverá uma colônia de férias paras crianças da localidade. No domingo (26) está programada uma feira de saúde e bem-estar. 


EXPERIÊNCIA

Para os jovens, trata-se de uma oportunidade de conhecer  novas realidades e interagir entre eles. “É muito legal poder se doar para o outro. Me sinto bem”, valorizou Pedro Giroldo, 12. “É cansativo, mas o trabalho nos estimula sempre a sermos melhores”, acrescentou Nagylla Glória Pereira, 18. 


Os dois, assim como o caso de Allana Esthefany de Oliveira Silva, 13, já participaram de outras edições do projeto. “Gosto muito. Os moradores nos agradecem e quando passamos pelas casas percebemos que as pessoas sentem a falta de quem se preocupe com elas”,  afirmou. 


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias