Os games já se incorporaram à rotina dos adolescentes, mas muitos pais ainda desconhecem os pontos positivos e negativos dos jogos virtuais. Segundo especialistas, ao mesmo tempo em que estimulam o desenvolvimento do raciocínio lógico, eles podem desencadear altas doses de estresse, prejudicar o sono e até comprometer o rendimento escolar.
Na avaliação do psicólogo e mestre em Educação Marcos Meier, de Londrina, os games trazem muitos benefícios. ''Para ultrapassar as diversas fases de um competição, o jogador é obrigado a desenvolver estratégias. A superação dos obstáculos estimula o raciocínio lógico e a tomada de decisões'', explica. '' Durante a partida o adolescente aprende que dependendo do caminho que seguir sofrerá consequências que o fará voltar fases e perder tempo. Isso se refletirá na vida real quando tiver que tomar alguma atitude diante da vida'', acrescenta.
Meier ressalta que para obter esses efeitos positivos é importante optar por jogos com alta interatividade. ''Game que só repete as mesmas ações e movimentos não é saudável. Os jogos devem sempre criar novas situações. Por isso, na hora da compra é importante escolher jogos com inteligência artificial. Essa informação vem escrita na caixa do games que possuem essa característica'', afirma.
Transtornos
Apesar dos inúmeros benefícios, os games também podem causar alguns transtornos. ''Pesquisas mostram que determinados jogos podem liberar doses tão altas de adrenalina que são equivalentes ao estresse sofrido por corretores de bolsas de valores e diretores de empresas e altos executivos de bancos'', enfatiza Meier.
O estresse gerado pelos games pode comprometer o sono e a aprendizagem dos adolescentes. ''O corpo demora um tempo para se recuperar dessa descarga de adrenalina. Por isso não é recomendado disputar jogos muito violentos à noite, pois a pessoa pode demorar para conseguir dormir e, consequentemente, ter dificuldade de levantar cedo'', aconselha o psicólogo.
Aprendizagem
Meier enfatiza os prejuízos causados por noites mal dormidas. ''A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda dez horas de sono para crianças até 10 anos de idade e oito horas de sono para adolescentes e adultos. Durante o sono o cérebro libera substâncias que ajudam na fixação da aprendizagem. Por isso é comum o estudante dizer que sabia todo o conteúdo ensinado pelo professor, mas que teve um 'branco' na hora da prova'', afirma.
Outro problema gerado pelos games violentos é a desensibilização frente à violência. ''A exposição à violência não é suficiente para tornar a pessoa violenta. Entretanto, pode fazer com que a criança ache esse tipo de comportamento comum. O homem que matou 13 crianças em abril deste ano no Rio de Janeiro atingiu 11 delas com um tiro na testa, numa precisão que muitos policiais não têm. Foi constatado que ele nunca havia pego uma arma, mas tinha familiaridade com o revólver devido ao treinamento realizado através dos games eletrônicos'', ressalta.

Imagem ilustrativa da imagem Jogo virtual: pontos positivos e negativos