|
  • Bitcoin 232.973
  • Dólar 5,5670
  • Euro 6,3130
Londrina

EDUCAÇÃO 5m de leitura Atualizado em 19/11/2021, 11:14

IFPR analisa pedido para instalação de centro de referência em Cambé

Unidade poderá oferecer, inicialmente, cursos de qualificação; prédio do antigo Sesi no jardim Morumbi, desativado no final do ano passado, deverá abrigar estrutura

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 18 de novembro de 2021

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Cambé (Região Metropolitana de Londrina) poderá ganhar um centro de referência do IFPR (Instituto Federal do Paraná) em breve. A prefeitura da cidade pediu à reitoria da instituição a instalação dessa estrutura, que ficaria vinculada ao campus Londrina. Segundo o diretor-geral da unidade em Londrina, Marcelo Poleti, a solicitação está sendo analisada pelo reitor da instituição no Estado, que fica em Curitiba. 

Prefeitura avalia que estrutura escolhida para receber centro não precisará de reformas
Prefeitura avalia que estrutura escolhida para receber centro não precisará de reformas |  Foto: Gustavo Carneiro - Grupo Folha
 

“Estamos aguardando a autorização para constituir um grupo de trabalho para elaborar um projeto de viabilidade desse centro de referência. Esse grupo fará um estudo mais aprofundado para tentar entender quais são as demandas da comunidade por formação. Depois, esse processo passa por análise do campus de Londrina e segue para a reitoria, além, de ser analisado pelo conselho superior. Somente este conselho tem prerrogativa de avalizar o centro de referência”, explicou. 

O grupo de trabalho deverá contar com servidores do campus de Londrina, da reitoria e também representantes da prefeitura de Cambé. A partir da sinalização positiva do reitor, o rito para funcionamento do centro costuma ser, em média, de cerca de seis meses. Poleti tem agenda nesta sexta-feira (19) com a reitoria do IFPR. Um dos assuntos previstos na pauta é a criação do centro. “A cidade tem porte e condições de receber esse centro de referência. Estamos trabalhando para viabilizar”, garantiu. 

Este centro poderá oferecer qualquer curso, de qualquer nível. De acordo com o diretor-geral do campus Londrina, normalmente, se inicia com cursos de formação continuada, qualificando a população. “Pode ofertar curso técnico, mas precisa de um projeto mais consistente. Precisaria de mais trabalho, recursos financeiros e humanos”, destacou. 

PRÉDIO DEFINIDO

Recentemente, membros do instituto e da prefeitura visitaram o local que vai abrigar o centro de referência. O espaço escolhido é o antigo Colégio Sesi, no jardim Morumbi, que foi desativado no final do ano passado, com a saída da entidade da cidade. O prédio conta com salas e laboratório. “Estamos no processo de transição da formalização da devolução do Sesi para o município e da promoção dos cursos que o instituto federal vai desenvolver a partir do momento que tiver essa formalização realizada”, apontou o prefeito Conrado Scheller. 

Não serão necessárias grandes reformas na unidade. “O prédio está em ótimas condições. Tem apenas que passar por algumas questões de pintura e limpeza”, afirmou Estela Camata, secretária municipal de Educação. O IFPR cederá professores e funcionários para a área administrativa, enquanto que a contrapartida do município é a infraestrutura e o custeio da manutenção do prédio. “Nossa intenção é poder ofertar o atendimento à comunidade em 2022”, projetou. 

PARCERIA

Atualmente, a instituição tem uma parceria com o poder público municipal para oferta de cursos de formação continuada on-line com aulas de inglês para trabalhadores. “Para o município, ter o instituto atendendo a comunidade e ofertando não só nível técnico profissionalizante, mas também ensino médio, graduações e até pós-graduações, a nível federal e gratuito, é um ganho muito grande, qualifica nossos profissionais e oferta mão de obra especializada para as empresas”, avaliou Camata. 

Marcelo Poleti informou que a prefeitura também fez outro ofício, pedindo um campus do Instituto Federal do Paraná em Cambé. O ato administrativo, no entanto, é exclusivo do Ministério da Educação. Deputados federais da região estariam se articulando para reforçar a demanda junto à pasta. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM