Osmani Costa
De Londrina
A Secretaria Municipal de Saúde de Ibiporã (14 km a leste de Londrina) implantou nesta semana o programa Saúde da Família, que conta inicialmente com sete equipes percorrendo os bairros e realizando o atendimento médico ao paciente em sua residência.
Em abril, outras duas equipes serão incorporadas ao programa, cobrindo cerca de 75% da população – inclusive na zona rural – com serviços inteiramente gratuitos.
De acordo com a secretária municipal de Saúde, Regina Lúcia Nascimento do Amaral, além de facilitar a vida dos pacientes com o atendimento domiciliar, o programa objetiva diminuir o fluxo diário de pessoas nas oito unidades básicas de saúde de Ibiporã.
‘‘Queremos facilitar a vida da população. As visitas serão agendadas de acordo com a necessidade de cada paciente e família. Não vamos trabalhar apenas com a cura, mas também com a prevenção, atendendo a família como um todo’’, comenta a secretária.
Segundo ela, na primeira semana de trabalho externo cada equipe atendeu, em média, 12 pacientes por dia. As equipes são formadas por um médico, um auxiliar de enfermagem, um enfermeiro, um agente comunitário e dois alunos do 3º ano do curso de medicina da Universidade Estadual de Londrina (UEL), como parte de um convênio recentemente assinado. No total, 42 profissionais já estão envolvidos no o programa.
As equipes trabalham principalmente com pacientes que sofrem de doenças crônicas degenerativas e estão imobilizados, mas também atuam no acompanhamento de ex-internados em hospitais que necessitam de cuidados especiais.
Elas realizam ainda coleta de materiais para exames laboratoriais. ‘‘O atendimento será completo, com apoio a gestantes, checagem das carteiras de vacinação das crianças e encaminhamento para exames mais complexos e cirurgias’’, afirma Regina do Amaral.
Ela ressalta que o programa Saúde da Família oferecerá aos pacientes, além das consultas e orientações, toda a medicação necessária ao tratamento e recuperação deles.
O programa já foi aprovado pela Secretaria Estadual de Saúde e aguarda o reconhecimento do Ministério da Saúde, que logo após iniciará o repasse mensal – chamado de estímulo – de R$ 4.500,00 para a manutenção de cada equipe.