O escritório do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) de Paranavaí multou ontem uma associação que engloba cerca de 15 olarias de São Carlos do Ivaí (58 quilômetros a oeste de Maringá). Segundo o IAP, as olarias estavam fazendo a exploração de argila nas margens do Rio Ivaí, em desacordo com o plano apresentado ao instituto. A fiscalização dos técnicos foi realizada depois da denúncia de que a associação estaria retirando argila de áreas de preservação, o que também foi confirmado. O chefe do IAP de Paranavaí, Ângelo Francisco da Silva David explicou que, para reduzir custos, as olarias trabalham em associação.
A área vistoriada ontem, de 4,8 hectares, pertence a uma das associações, que reúne cerca de 15 olarias. Os fiscais constataram que em cerca de 2 hectares, além da exploração das áreas de preservação, as olarias não cumpriam o plano de recuperação ambiental. ‘‘Estavam apenas retirando a argila e abandonando a área explorada’’, disse. A responsabilidade, segundo David, fica com a associação, que foi autuada, multada em cerca de R$ 20 mil por várias irregularidades, e pode sofrer processo por crime ambiental.
No total, são mais de 30 olarias instaladas na região de São Carlos do Ivaí, que o IAP pretende vistoriar a partir da próxima semana. ‘‘Vamos fazer uma operação padrão para ver o que está acontecendo com todas as olarias e associações que fazem a exploração na área’’, prometeu David. Ele explicou ainda que todo caso de autuação por qualquer irregularidade, é encaminhado ao Ministério Público que, dependendo das condições, abre processo de crime ambiental.