NetdealEvents

HU de Londrina comemora Dia Internacional de Doação de Leite

Mulheres com filhos internados no hospital prepararam uma carta de agradecimento às doadoras; em 2019 4,4 mil bebês foram beneficiados com o ato de solidariedade

Laís Taine - Grupo Folha
Laís Taine - Grupo Folha

“Querida doadora, tudo bem? A gente não se conhece, mas eu escrevo essa carta para te contar a importância que você tem em minha vida.” Nesta terça-feira (19), comemora-se o Dia Internacional de Doação de Leite Humano e o BLH (Banco de Leite Humano) do HU (Hospital Universitário de Londrina) organizou uma homenagem às doadoras com a divulgação da carta preparada pelas mães que se sentem agradecidas pelo leite recebido. Em 2019, 4.475 bebês de Londrina e Região foram salvos pelo banco e a proposta é aumentar a quantidade para que mais recém-nascidos tenham a oportunidade de se desenvolverem com saúde. 


HU de Londrina comemora Dia Internacional de Doação de Leite
 




Além de participar de eventos nacionais por meio de plataforma virtual, o BLH também preparou um vídeo das doadoras e uma carta de agradecimento desenvolvida a partir de vários trechos escritos pelas mulheres com bebês internados na Unidade Neonatal. “É uma forma de agradecer e sensibilizar outras mães que tenham leite sobrando”, comenta Letícia Costa, coordenadora do BLH. “É muito importante contarmos com essa doação do leite, que é para os prematuros ganharem peso, terem desenvolvimento saudável, menor tempo de internação, são vários benefícios”, acrescenta. 




Um trecho da carta diz: “Ser mãe é uma dádiva, mas meu bebê nasceu pequeno, antes do tempo e necessitando de cuidados especiais... ele não está em casa comigo, está internado e lutando dia após dia. Infelizmente nós estamos passando por um momento muito delicado, pois não bastasse toda a situação da saúde do meu bebê, ainda estamos vivendo a pandemia do Coronavírus”.  


PANDEMIA

A coordenadora do BLH explica que no início da pandemia houve uma queda de 40% das doações e que foi preciso intensificar a campanha entre março e abril. Agora os números foram normalizados, porém, é preciso que o trabalho seja contínuo. “No dia 20 de março, quando começou o fechamento dos estabelecimentos da cidade, o pessoal ficou com medo e nós sentimos esse impacto nas doações e corremos para realizar campanhas”, afirma.  


Sob o slogan da campanha estadual “Para você é leite, para a criança é vida. Doe leite, doe vida!”, a equipe mantém o convite. “Nesse momento, estamos com estoque suficiente para atender a nossa demanda, porém é importante ressaltar que isso ainda não traz conforto, porque conforme as crianças vão crescendo, o leite deixa de sobrar e as mães param de doar. Nós precisamos que mais mães se cadastrem”, afirma. No ano passado, a média mensal de doação foi de 187 litros por mês, a coordenadora indica que a quantidade ideal seria manter estoque de 300 litros por mês. 


O BLH do HU atende toda a cidade e região e conta com seis pontos de coleta: Casa de Misericórdia de Cornélio Procópio, Unidade de Lactação de Cambé, Unicoamor de Rolândia e mais três pontos em Londrina: Maternidade Municipal Lucilla Ballalai, Hospital Evangélico e Hospital do Coração unidade Bela Suíça. Em 2019, 2.241,2 litros foram doados por 1.649 mães a 4.475 bebês. 


COMO DOAR? 

Os critérios para doação são: mães saudáveis que estejam, primeiramente, amamentando o próprio filho e que tenham leite sobrando. As mães cadastradas recebem um kit com o material para a retirada do leite e estocagem. As equipes visitam as famílias para buscar e realizarem a entrega de novos kits. “Entregamos tudo fechado e não entramos mais na casa dessas famílias, tudo para garantir a segurança delas e adquirirmos o benefício do melhor alimento”, afirma a coordenadora.  


SERVIÇO 

Mães que se interessarem em cadastrar para a doação podem ligar para o Banco de Leite do HU pelo telefone (43) 3371-2390. 



CARTA NA ÍNTEGRA 

Queria doadora, tudo bem? A gente não se conhece, mas eu escrevo essa carta para te contar a importância que você tem em minha vida. Sabe, eu também sou mãe, assim como você. Ser mãe é uma dádiva, mas meu bebê nasceu pequeno, antes do tempo e necessitando de cuidados especiais... ele não está em casa comigo, está internado e lutando dia após dia. Infelizmente nós estamos passando por um momento muito delicado, pois não bastasse toda a situação da saúde do meu bebê, ainda estamos vivendo a pandemia do Coronavírus.


Existem um monte de sentimentos que vivem em mim... medo, angústia, preocupação, mas hoje eu não vim falar disso. Quero te contar sobre outros dois sentimentos que existem em mim graças a você: gratidão e esperança.


Não é fácil viver tudo isso, meu bebê nasceu e não pode mamar no meu peito, tenho me esforçado muito para ter leite para dar para ele, mas ele ainda precisa receber o seu leitinho, que tem se dedicado a doar e fazer esse ato de amor e carinho. O leite materno é muito importante na vida do meu bebê, é um alimento rico, precioso e que tem um valor incalculável.


Desde quando começou a receber o leite que você doa ele vem crescendo, ganhando peso e ficando mais saudável.


Não tenho palavras para agradecer esse ato de amor. Obrigada por pensar em outras mamães... Obrigada por pensar em outras crianças... Eu e meu bebê somos muito gratos por sua dedicação, carinho e amor em dividir esse alimento tão precioso conosco, nesse momento tão difícil.


Você faz toda a diferença em nossas vidas! Um grande abraço.




P.S.: Essa carta foi escrita a partir de vários trechos de cartas que as mães que têm bebês internados na Unidade Neonatal escreveram para agradecer as mulheres doadoras de leite materno. 


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias