Paulo Pegoraro
De Cascavel
O processo de transformação do Hospital Regional de Cascavel (HRC) em hospital universitário (HU) começa a ter desfecho com o envio de projeto de lei pelo governo do Estado à Assembléia Legislativa, o que ocorrerá no próximo mês, segundo confirmou ontem em Cascavel o deputado Antônio Carlos Barater (PSDB), que participa diretamente das discussões sobre o processo.
A criação do HU é ‘‘indispensável’’ para o funcionamento dos cursos da área de saúde da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), segundo a reitora Liana Fuga. O curso de medicina, por exemplo, entrará agora em seu quarto ano, e o estágio dos alunos é obrigatório. Além disso, a instituição tem cursos de enfermagem e odontologia, na área.
Enquanto se aguarda o envio do projeto e sua aprovação na Assembléia, o governo toma providências paralelas para a estruturação do futuro HU, inclusive com ampliação, já anunciada, do setor de atendimento ambulatorial. Além de contemplar os cursos da Unioeste, a medida permitirá ampliar o número de consultas oferecidas à população. Atualmente, são 300 por dia, a paciente de toda a região.
O processo de transformação envolve discussões entre as secretarias de Saúde, Ensino Superior e Administração, e a Casa Civil do governo do Estado. ‘‘Os estudos foram concentrados ao longo dos últimos oito meses’’, relata Barater, revelando que o projeto estará protocolado na Assembléia ainda antes do fim do recesso legislativo (15 de fevereiro), e que a aprovação deve ocorrer no início de março. ‘‘Sem maiores dificuldades porque há consenso sobre a impossibilidade de retardar a transformação, discutida também com outros parlamentares da área de influência da Unioeste’’, disse.
O projeto prevê a transformação da personalidade jurídica do HRC para HU, sob a responsabilidade legal da Unioeste, mas com co-gestão da direção do estabelecimento. Ao contrário do governo, que sofre restrições (limitação a 60% de sua receita) em relação a contratação de pessoal, a universidade poderá assumir esta decisão quando necessário, assim que confirmada em definitivo a autonomia financeira plena das instituições estaduais de ensino superior.
O curso de medicina tem 42 alunos ingressando no quarto ano, e outros 98 nas séries anteriores, dos quais 40 iniciarão o curso este ano. Durante o ano passado, os estudantes realizaram várias manifestações pela falta de definição do HU.