OTIMIZAÇÃO -

Guarda Municipal passa por processo de reestruturação


Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Guarda Municipal passa por processo de reestruturação
Bruno Amaral/Divulgação Defesa Social
 


Alvo de críticas quando há registros de furtos ou atos de vandalismo contra estruturas municipais, a GM (Guarda Municipal) vem desenvolvendo um amplo processo de reestruturação para que sua atuação seja mais efetiva. As medidas foram dividias em várias frentes, que incluem conscientização, plano de segurança de instalações, monitoramento e proteção de prédios públicos, recuperação da parte logística e reformulação da própria corporação. 


Servidores receberam informações sobre condutas de cuidado particular e com o prédio público para evitar furtos, o que também foi levado para vizinhos destes espaços. “Já no plano de segurança, técnicos da guarda visitaram todos os prédios junto com o gestor, mostrando as vulnerabilidades e medidas para adotar em curto, médio e longo prazo para melhorar a segurança”, ressaltou Pedro Ramos, secretário de Defesa Social. 




Entre as medidas estão poda de árvores, troca de iluminação e instalação de grades. O documento confeccionado ainda foi direcionado para o secretário da área. Das 400 edificações da Prefeitura de Londrina, foram definidas 287 para instalação de alarme monitorado. São lugares que não funcionam 24 horas por dia. O custo estimado é de R$ 1,4 milhão e depende da secretaria de Obras e Pavimentação, já que requer projetos de engenharia. 


Na parte logística, foram entregues nesta semana 12 novas viaturas, que serão utilizadas pelo Grupo Especial de Pronto Emprego, Guarda Municipal Rural e Escolar. O investimento foi de R$ 1 milhão, com recursos do município e via emenda parlamentar e contrapartida. Atualmente, são 300 agentes e um concurso público para contratar outros 30 está para ser lançado. 


PROJETO DE LEI


No plano de reestruturação da corporação está contemplada a presença de um profissional de psicologia para atuar junto aos guardas 24 horas por dia, prestando serviço preventivo e corretivo, o que hoje não existe. “A intenção é definir um plano hierárquico, de carreira, ferramentas para fiscalizar o trabalho do guarda, pois, hoje só tem a corregedoria”, frisou. Para estas mudanças, um projeto de lei deverá ser encaminhado à Câmara de Vereadores. 


Continue lendo


Últimas notícias