GIRO PELO PARANÁ - Estação Ferroviária de Arapongas


Estação Ferroviária de Arapongas será revitalizada 

Arapongas - A Prefeitura de Arapongas (Região Metropolitana de Londrina) prepara o processo de licitatório para escolha da empresa responsável pela revitalização da antiga Estação Ferroviária. Segundo informações da secretaria de Obras, Transporte e Serviços Urbanos, a previsão é de que serão investidos aproximadamente R$ 300 mil. “O objetivo é revitalizar todo o prédio, porém preservando a sua arquitetura histórica”, explica o engenheiro Ricardo Koike. Depois de restaurado, o local deverá ser a nova sede da secretaria municipal de Cultura, Lazer e Eventos. A Estação Ferroviária foi inaugurada em janeiro de 1941, com a chegada do primeiro trem na cidade. O prédio funcionou como estação de passageiros até meados da década de 1960, sendo reativado como Museu Histórico em 1977. Em setembro de 2009, um incêndio consumiu cerca de 40% da estrutura do prédio. 

 

Novo reitor  da Unioeste 

Cascavel - A apresentação oficial dos resultados da consulta eleitoral para reitor, vice-reitor, diretores gerais de campi e diretores de centro da Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) foi feita ao atual reitor, Paulo Sérgio Wolff, na terça-feira (12). O próximo passo é a homologação no Conselho Universitário e o encaminhamento da lista tríplice  para homologação do Governo do Estado. Os candidatos vitoriosos ao cargo de reitor e vice, respectivamente, foram os professores Alexandre Almeida Webber e Gilmar Ribeiro de Mello. E assim, também foram escolhidos os novos dirigentes para todos os cargos citados que tomam posse em janeiro de 2020 que ficam no comando até 2023. 



  

 

Trilhas interpretativas em Maringá 

Maringá - Trilhas interpretativas, realizadas no Parque do Ingá, em Maringá (Noroeste) incentivam a conscientização e educação ambiental de cerca de mil crianças e adultos todos os meses. Durante o percurso, com duração de uma hora, equipes da secretaria do Meio Ambiente e Bem-Estar Animal orientam sobre a fauna e a flora.  “O parque se torna um laboratório vivo, oportunizando o aprendizado sobre as atividades ambientais e a histórias do parque. Muitos professores procuram o projeto como parte prática do conteúdo visto em sala, além de reforçar a necessidade da mudança de hábitos em relação a natureza”, explica o secretário Marco Antonio Azevedo. Interessados em participar das trilhas devem enviar o nome, quantidade de pessoas, data e horário desejado no e-mail [email protected]  

 


Continue lendo


Últimas notícias