Genésio tenta se aposentar por invalidez há cinco anos Se a miséria é quase uma sentença para os trabalhadores rurais com saúde, a falta de perspectiva para os que sofrem com um problema cardíaco nestas condições, como o do desempregado Genésio Batista, 54 anos, por exemplo, é ainda maior. Há cinco anos tentando se aposentar por invalidez, o ex-bóia-fria está enfrentando as constantes taquicardias sob sol inclemente, empurrando um carrinho fabricado por ele mesmo para ganhar a vida catando papelão. No ‘‘puxadinho’’ de madeira construído pelo casal para armazenar embalagens plásticas já tem bom estoque. Com três meses de corte por falta de pagamento da conta de água e energia elétrica, Batista e a esposa, Jorgina, 46 anos, decidiram investir em uma nova profissão. Já estrearam o estranho veículo ganhando cerca de R$ 25,00 nas três primeiras semanas. O dinheiro foi usado no supermercado. Suprimento que dá para alimentar o casal e seus três filhos por duas semanas. Há dois meses eles foram afastados do programa municipal de distribuição de cestas básicas e estavam contando com a ajuda de vizinhos para comer. O filho de 13 anos parou de estudar há dois anos ‘‘para ajudar a ganhar uns trocados na roça’’. (L.F.M.)