Garota enfrentou o medo de agulha
Kraw PenasCORAGEMElisa Horn, de 19 anos, teve que enfrentar o medo de agulhas para doar sangue e não se arrepnedeu: ‘‘a partir de agora vou doar sempre’’O medo de levar uma espetada de agulha quase fez a promotora de eventos Elisa Horn, 19 anos, dar meia-volta. Mesmo com a fobia, ela criou coragem e resolveu passar pela experiência de ser doadora de sangue. ‘‘Nossa! O coração parece que vai explodir’’, dizia, enquanto aguardava o momento crucial. A promotora sentiu apenas um ‘‘beliscão’’ quando a agulha foi introduzida na veia do braço. Depois, constatou: ‘‘a partir de agora, vou querer doar sempre’’. Elisa acha que pessoas como ela devem deixar o folclore de lado e dar a sua contribuição. ‘‘A gente faz o bicho, mas não acontece nada. O importante é sentir que você está ajudando alguém’’, comenta. O maior desafio de Elisa nem foi sentar na cadeira para doar sangue, mas convencer a amiga Raquel, que estava mais nervosa, a fazer o mesmo. Depois de muita conversa, Raquel decidiu doar também. (D.V.)