CENÁRIO DESOLADOR -

Famílias perdem tudo após chuvas em Cambé

Enxurrada invadiu casas e deixou grande prejuízo no jardim Ana Rosa; córrego transbordou e levou parte de ponte

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

 

Maria Goreti perdeu roupas, móveis e alimentos
Maria Goreti perdeu roupas, móveis e alimentos | Pedro Marconi - Grupo Folha
 


Cambé - As poucas peças de roupas salvas foram colocadas no banheiro, ainda molhadas. Desolada, a dona de casa Maria Goreti Lopes Parra lembrou dos momentos de terror que viveu. “Todos de casa pularam o muro. Não consegui, porque passei por cirurgia recentemente, e fiquei dentro do tanque. Minha filha foi embora para a casa da sogra, só com a roupa do corpo”, emocionou-se. A moradora do jardim Ana Rosa, em Cambé (Região Metropolitana de Londrina), que vive com um auxílio do INSS, está entre os prejudicados pelas fortes chuvas que atingiram a cidade na tarde de domino (7). 


O Ana Rosa foi um dos bairros mais atingidos, principalmente a rua Vicente Damião, que tem parte dos imóveis numa região íngreme, que recebe a água de todos os lados em dias de temporal. Além de roupas, móveis, eletrodomésticos e comida, Parra ainda viu 25 galinhas que mantinha na parte de trás do quintal morrerem afogadas. “Minha geladeira nova queimou, o tanquinho, que era ‘costurado’ com arame, estragou. O quintal meu marido deixa limpo e está desse jeito, todo sujo. Não dormi a noite”, lamentou. 


 

Enxurrada estourou porta da cozinha e levou tudo o que tinha pela frente
Enxurrada estourou porta da cozinha e levou tudo o que tinha pela frente | Pedro Marconi - Grupo Folha
 


Na casa ao lado, a enxurrada foi levando tudo o que tinha pela frente, incluindo os muros e portão. A água chegou a aproximadamente 1,5 metro de altura. Sem ter para onde escorrer, a chuva estourou a porta da cozinha. Do lado de dentro e de fora, o barro tomou conta e destruiu tudo, deixando os moradores sem nada. Até uma moto foi danificada. 


A recicladora Conceição Aparecida Bernardes foi ajudar a proprietária, que é sua colega e patroa, durante o temporal. Ela disse que a chuva começou por volta das 14h e durou cerca de duas horas e meia, de maneira interrupta. “Seis pessoas estavam na casa, sendo uma criança pequena. A Ana, que é a dona, ficou desesperada com a neta no colo. Sorte que tinha uma caçamba na entrada, se não teria sido ainda pior. Só sobrou barro e lixo”, relatou, mostrando o ponto que a água alcançou na parede. 


PEDIDOS

Os moradores do bairro afirmam que problemas gerados pelas chuvas são constantes na localidade e cobram melhorias, como por exemplo, mais redes de galerias pluviais. “Já pedimos, fizemos abaixo assinado, mas parece que esqueceram de nós, de que não existe ser humano aqui. Pagamos impostos igual todos”, afirmou. 


Nas proximidades, a marginal da BR-369 se transformou num verdadeiro rio, com os veículos ficando submersos. “Só passava caminhão. Um motorista ficou preso dentro do carro. Meu filho foi ajudar ele sair. A água invadiu o carro”, contou o lavrador aposentado Francisco Soares. “Não tem ‘boca de lobo’ suficiente por aqui, tinham que construir mais”, apontou. 


 

Muro e portão de imóvel caíram no Ana Rosa
Muro e portão de imóvel caíram no Ana Rosa | Pedro Marconi - Grupo Folha
 


De acordo com a Defesa Civil do município, pelo menos 15 famílias tiveram que deixar as casas no jardim Ana Rosa e se transferirem provisoriamente para outros lugares. "Teve um volume muito grande de água e em pouco tempo. Não teve vento, mas a enxurrada fez com que as famílias saíssem de casa. Uma casa ficou totalmente destruída, sem condição de moradia. Terá que ser demolida", constatou Luiz Carlos Giroto, coordenador do órgão em Cambé. 


INTERVENÇÕES

Na passagem entre os jardins São Paulo e Santo Amaro, o córrego Esperança transbordou, derrubando parte da estrutura da ponte, árvores e até os postes de energia elétrica. Vizinhos narraram que saíram faíscas no contato da fiação com a água, deixando todos assustados. A segunda-feira (8) foi de trabalho para os servidores da prefeitura e companhia de eletricidade na realização dos reparos emergenciais. 


O lugar deverá ficar parcialmente bloqueado para o trânsito, até que uma licitação seja feita para contratação de empresa especializada, que deverá promover uma ampla reforma. “Afetou as laterais da ponte, inclusive guard rail e corrimão de proteção. A margem foi levada. Terá que ser feito um trabalho de melhoria na estrutura lateral, com alargamento da via. A tubulação, que hoje já não suporta a carga de água que passa por aqui, será redimensionada”, explicou o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Manoel Cícero. 


 

Córrego Esperança transbordou na passagem entre os jardins São Paulo e Santo Amaro
Córrego Esperança transbordou na passagem entre os jardins São Paulo e Santo Amaro | Pedro Marconi - Grupo Folha
 


Quanto à situação do Ana Rosa, o secretário garantiu que intervenções já vinham sendo executadas e prometeu a continuidade dos serviços. “A tubulação, por mais bem dimensionada que seja, terá problema de transbordamento nos vales. Estamos conversando com a secretaria de Planejamento para que em alguns pontos possamos implantar rede e aumentar galerias de água pluvial”, frisou. 


ASSISTÊNCIA

O prefeito Conrado Scheller destacou que o município tem prestado assistência às famílias afetadas, num trabalho conjunto das secretarias. “Já no domingo nossa equipe foi para a rua identificar os pontos críticos. Além disso, temos equipe da Assistência Social, junto com Conselho Tutelar, secretaria de Educação, vendo se falta alimento, casas que estão ameaçadas.” 


SERVIÇO - Quem quiser ajudar as famílias prejudicadas pode entrar em contato por meio dos telefones (43) 98854-8797 (Maria Goreti) e (43) 99178-8735 (Conceição Bernardes) 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo