TRAGÉDIA -

Família de Goioerê morre em acidente de avião

Avião monomotor caiu na área rural de Roncador, no Centro-Oeste na manhã desta terça; vítimas são casal e duas filhas

Vitor Ogawa - Grupo Folha
Vitor Ogawa - Grupo Folha

 

Parte da aeronave foi encontrada no rio Macaco, área rural de Roncador.
Parte da aeronave foi encontrada no rio Macaco, área rural de Roncador. | Divulgação/Defesa Civil de Roncador
 



Na manhã desta terça-feira (29), um avião monomotor caiu na área rural do município de Roncador (Centro-Oeste), na divisa com o município de Mato Rico.  A aeronave, um Cessna modelo 177B de prefixo PT-KCK, fabricada em 1974,  estava registrada em nome do empresário Valdecy Cruzeiro, 56, de Goioerê (Noroeste). O empresário pilotava a aeronave, que transportava também a esposa Luciana Brito Cruzeiro  e as filhas, a cirurgiã-dentista em Goioerê, Beatriz Cruzeiro (24); e Julia Cruzeiro (18), que estudava em Umuarama.  O animal de estimação da família, um cachorrinho, também foi encontrado no local sem vida. As informações são da Defesa Civil de Roncador, que informou ainda que Valdecy possuía mais de 25 anos de experiência como piloto, mas a aeronave estava há pouco tempo com ele, desde o dia 22 de setembro deste ano, quando foi adquirida.


 De acordo com Sidnei Augusto Karas, da Defesa Civil de Roncador, a aeronave teria partido de Goioerê por volta das 6h30 com destino a Guaratuba, litoral do Paraná. Ele relatou que o tempo estava fechado na hora em que a aeronave sobrevoava Roncador. Cinco bombeiros comunitários foram deslocados para o local do acidente para isolar a área. “O avião caiu no rio Macaco, perto de uma serraria. Mas nem dá para reconhecer que é um avião pelos destroços, porque ele ficou completamente em pedaços”, declarou.


Karas apontou que o local da queda fica em uma mata fechada, de difícil acesso. Ele ressaltou que moradores da região têm auxiliado na demarcação da área a ser isolada. Partes da aeronave caíram sobre as árvores e parte caiu em uma plantação de soja nas imediações. A aeronave não tinha autorização para operar comercialmente como táxi aéreo e tinha capacidade para três pessoas. 


O Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) foi acionado e uma equipe está se deslocando para o local do acidente, mas ainda não há informações  sobre o que pode ter provocado o acidente. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Guarapuava.


GIROCÓPTERO

É o segundo acidente com aeronave em poucos dias.No último domingo (25), um piloto de 65 anos sofreu um acidente com um girocóptero, no município de Presidente Castelo Branco, na Região Metropolitana de Maringá (Noroeste). O acidente ocorreu em um aeródromo, cuja pista é de cascalho, possui 1.341 metros de comprimento e 18 metros de largura. O girocóptero era um equipamento experimental. O piloto foi socorrido e encaminhado a um hospital . 


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo