SAÚDE -

Exclusiva para dengue, UBS da Vila Casoni amanhece lotada

Com a cidade em situação de e emergência, unidade passa a atender somente pacientes com sintomas da dengue a partir desta quinta-feira (20)

Laís Taine - Grupo Folha
Laís Taine - Grupo Folha

O ponteiro do relógio mal chegava às 10h e quase 100 pessoas aguardavam atendimento na UBS (Unidade Básica de Saúde), da Vila Casoni (zona leste de Londrina). Com a cidade em alerta para epidemia, a unidade passou a atender exclusivamente pessoas com sintomas da dengue nesta quinta-feira (20), com funcionamento das 7h às 23h de segunda a sexta-feira; e das 7h às 19h aos sábados. Atendimentos de atenção básica são encaminhados para as UBS do CSU (Centro Social Urbano) e do Lindoia, também na zona leste.  


Exclusiva para dengue, UBS da Vila Casoni amanhece lotada
Lais Taine
 


O boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde na quarta-feira (19) apontou que 1.663 pessoas estão com dengue em Londrina. Desde o início de janeiro, 7.074 pessoas foram notificadas com a doença. Nessa situação, as UBS estão tendo que se adaptar para atender o alto número de pacientes, algumas delas tiveram horários estendidos, conforme orientação da prefeitura. 




A UBS da Vila Casoni foi uma que sofreu alterações. Desde esta quinta passou a atender exclusivamente pacientes com sintomas da dengue. No entanto, o número de pessoas é tão alto que assentos e ventilação da unidade não são suficientes. Alguns suspeitos de terem contraído a doença aguardavam o chamado do lado de fora da unidade.


“Eu fui no CSU e pediram para que o meu caso fosse acompanhado aqui na UBS, mas tanto aqui quanto lá estão lotados. Não tem lugar para se sentar, tem até pessoas de idade passando por essa situação”, reclama José Carlos Costa, 67.  


Eduardo Pires, 29, sentiu-se mal e foi até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), do Sabará (zona oeste), na segunda-feira (17). Durante todos esses dias ficou em casa de repouso e voltou à UBS da Vila Casoni para ser atendido. “Cheguei há 2 horas e não fui atendido. A gente entende que é muita gente e tem pessoas piores que eu, mas é ruim”, afirma. O bombeiro civil aguardava ser chamado em pé do lado de fora da unidade.  


Com mal-estar, febre e dor no corpo, Pires acredita estar com dengue, apesar de não ter diagnóstico confirmado. Ele acredita que mais pessoas estejam doentes e que pelo desconforto do atendimento, não foram notificados pelos sistemas de saúde. “Meu pai e meu irmão também estavam assim e não vieram. Acredito que os mais teimosos e os impacientes acabam retornando para casa sem atendimento mesmo. Eu mesmo estou quase indo embora”, aponta.  


A unidade fica na zona leste, a região com maior número de confirmações da doença (542). Luzia Moreira de Lima, 39, levou o filho de 16 anos para consultar após reclamação de dor de cabeça, no corpo e febre. Essa é a segunda vez que ela passa pela situação, outro filho chegou a ficar internado no hospital da zona norte por conta da doença há um mês. A babá acredita que a região possa ter áreas descobertas pela fiscalização. “Passou a agente em casa e ela não achou nada, mas existe um local aberto na Vila Portuguesa que eu suspeito que seja dali que vem o mosquito da dengue, porque são os únicos lugares que meu filho frequenta", aponta. 


Exclusiva para dengue, UBS da Vila Casoni amanhece lotada
Folha Arte
 




ALTERAÇÕES 

Além da UBS da Vila Casoni, a unidade do Aquiles Stenghel (norte) também passa a atuar em horário diferente. A partir de quarta-feira (19), a unidade continuou o atendimento eletivo agendado até as 13h, mas a partir deste horário a UBS passa a ser exclusiva para casos de dengue, com equipe reforçada de três médicos plantonistas.  


A UBS da Vila Ricardo (leste), que estava com horário de funcionamento estendido, voltou ao atendimento normal, de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Desde a semana passada, a unidade do Parigot de Souza (norte) está com os sábados voltados exclusivamente para casos de dengue, das 7às 19h. 


As UPAs ampliaram capacidade de atendimento, com quatro leitos e 16 poltronas de hidratação a mais, além de um médico extra, que atenderá das 10h às 22h. “Isso para podermos dar vazão aos atendimentos, que têm chegado a mil por dia em cada UPA”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado. “Estamos colocando um médico a mais em cada unidade para reavaliação dos pacientes e análise de resultados de exames que ficam acumulados”, acrescentou. 


A prefeitura também anunciou que vai abrir um Centro Exclusivo de Atendimento Especializado para o tratamento dos casos de dengue a partir de março, quando serão realizadas as novas contratações de profissionais de saúde. O serviço usará o espaço do CCI (Centro de Convivência da Pessoa Idosa), da zona norte, que terá suas atividades realizadas em outro local ainda não determinado pela prefeitura.  




CARNAVAL 

A prefeitura determinou a abertura de seis UBSs durante a segunda (24) e terça-feira (25) de Carnaval, que atenderão das 7h às 19h, exclusivamente para casos de dengue. Estarão abertas as UBSs do Aquiles Stenghel, Parigot de Souza, Vila Casoni, jardim Alvorada, Vila Ricardo e Itapoã. As UPAs funcionam normalmente. (com Pedro Marconi) 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:


Continue lendo


Últimas notícias