Da Redação
O Córrego da Água Fresca, em Londrina, amanheceu ontem semicoberto por manchas de espuma, perto de onde deságua no Lago Igapó 2, no Jardim Higienópolis (área central de Londrina).
Pescadores que frequentam o local constataram que a espuma tinha um forte cheiro de produtos químicos.
Não é a primeira vez que este tipo de poluição aparece no local. Anos atrás, denúncias de que a responsável pela espuma seria uma estação de tratamento de água da Sanepar foram feitas por entidades ambientalistas na Promotoria de Defesa do Meio Ambiente.
Ontem, a Autarquia Municipal do Ambiente (AMA) e a Companhia Municipal de Urbanização (Comurb) não receberam reclamações sobre a presença da espuma no Água Fresca.
Mas o diretor-técnico da AMA Ézio de Oliveira, determinou que um fiscal fosse ao local e coletasse amostra de água para análises laboratoriais.
A assessoria de imprensa da Sanepar informou que técnicos da empresa também iniciariam, ainda ontem, a busca de identificação da procedência de possíveis esgotos clandestinos que teriam lançado os produtos químicos no Córrego da Água Fresca, que nasce no fundo da estação de tratamento da empresa.