EDUCAÇÃO -

Escolas e creches estão em fase final de obras em Londrina

Novas unidades vão absorver demanda de alunos que hoje são levados para instituições distantes e abrir vagas para crianças de zero a três anos

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

 

Escola municipal Roberto Alves de Lima Júnior poderá atender até 800 alunos
Escola municipal Roberto Alves de Lima Júnior poderá atender até 800 alunos | Pedro Marconi - Grupo Folha
 


Três escolas e uma duas creches deverão ser inauguradas em Londrina ainda neste ano. Na zona leste, no Acquaville, a previsão é de que as obras da escola municipal Roberto Alves de Lima Júnior sejam entregues até o final de agosto. O prédio foi levantado por meio de contrapartida de uma construtora, responsável por diversos empreendimentos privados na região.  


A equipe da unidade já está atendendo desde o início do ano, porém, de forma provisória na estrutura do CMEI (Centro Municipal de Educação Infantil) que fica ao lado, também edificado como compensação. Cerca de 200 crianças estão matriculadas no ensino fundamental. “A escola vai absorver a demanda da região, que tem crescido muito, e também de outros lugares. A capacidade é de até 800 alunos no período parcial ou de 400 a 500 por período, estamos avaliando como vai ser”, explicou Maria Tereza Paschoal de Moraes, secretária municipal de Educação. 


ZONA SUL

Na zona sul, a escola municipal do jardim Buriti deve ficar pronta no último trimestre de 2020. Atualmente, as equipes responsáveis estão terminando a cobertura, reboco e a rede hidráulica. Em seguida será completada a execução do piso, revestimento das paredes e parte elétrica. A obra também é contrapartida. 


Cerca de 400 meninos e meninas serão atendidos. “São crianças que vivem na região, porém, são transportadas para outras escolas. Para o Zumbi dos Palmares, por exemplo, são 200, para o Machado de Assis mais 100. Temos expectativa de que na virada do ano mais alunos se matriculem”, explicou a secretária. 


VISTA BELA 

No outro extremo da cidade, a escola municipal América Sabino Coimbra, no conjunto Vista Bela, está com 95% de execução, segundo medição do início deste mês. A ordem autorizando os serviços foi assinada em abril do ano passado, com prazo de entrega em abril deste ano. Entretanto, o município concedeu dois aditivos e a data final agora é 13 de agosto. O custo é de aproximadamente R$ 5,2 milhões, dinheiro obtido após multa paga por uma empresa mediante um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). 


No período de aulas, cerca de 600 crianças do residencial precisam usar o espaço em dualidade com o colégio estadual, enquanto que 300 são levadas para outras instituições. 


CRECHES

O CMEI do jardim Nova Esperança, zona sul, está com 95% de obras executadas. O investimento foi de pouco mais de R$ 2 milhões. Operários estão concentrados nas atividades voltadas à segurança, com instalação de câmeras e alarmes, além de ajustes no piso do estacionamento e colocação de grades. Os trabalhos no CMEI Nagib Abudi Filho, no Acquaville, região leste, já acabaram, entretanto, ainda não foi feita a inauguração oficial. 


 

Escola municipal Roberto Alves de Lima Júnior: previsão é que obras terminem até final de agosto
Escola municipal Roberto Alves de Lima Júnior: previsão é que obras terminem até final de agosto | Pedro Marconi - Grupo FOLHA
 


Juntas, as duas creches vão abrir mais 320 vagas na rede municipal de ensino para crianças de zero a três anos, principal demanda de Londrina. A fila de espera nesta faixa de idade é de 1.500 crianças. “Com essas duas creches completamos a construção de sete desde 2017. A ideia é ir diminuindo a fila. Tem o planejamento de contratar licitação (para construção de mais creches) e contrapartidas”, adiantou Maria Tereza Paschoal de Moraes. Os dois novos centros serão administrados por instituições parceiras, que vão contratar os professores e demais funcionários. 



SEDE

As obras das escolas e creches foram vistoriadas nesta terça-feira (21) por representantes da Prefeitura de Londrina. Outro canteiro visitado foi a sede da secretaria municipal de Educação. O antigo Mercado Quebec, na zona oeste, está sendo revitalizado para receber a pasta, com custo de R$ 3,3 milhões, montante proveniente do caixa do município. Cerca de 160 servidores vão trabalhar no lugar. Atualmente, a secretaria está num prédio alugado na rua Mar Vermelho. São R$ 29 mil mensais. 


A construção está com 53,40% de execução restando dois meses para a data de entrega delimitada em contrato. A promessa é de que o cronograma será respeitado. “Os engenheiros garantiram que vão entregar dentro do prazo. Esperamos que em outubro estejamos com toda a parte administrativa da secretaria na sede própria”, comentou a secretária municipal de Educação,  Maria Tereza Paschoal de Moraes.


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

 

Escolas e creches estão em fase final de obras em Londrina
Pedro Marconi - Grupo FOLHA
 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo