Paulo Pegoraro
De Cascavel
Aproximadamente dois mil alunos de 4ª e 5ª séries do 1º grau, e filhos de agricultores, passarão a receber informações sistemáticas sobre cuidados ambientais, principalmente no manuseio de produtos químicos para a agricultura. O objetivo é do programa Escola no Campo, patrocinado por uma empresa nacional do setor (a Zeneca), em parceria com a Cooperativa Agropecuária Cascavel (Coopavel) de Cascavel. O lançamento do projeto ocorreu ontem, durante o evento tecnológico Show Rural, organizado pela cooperativa.
A Escola no Campo é resultado do projeto Espantalho, originado em Maringá no final dos anos 80, que integrou a Zeneca e a Cocamar. Em 91, a experiência começou a ser consolidada em São Paulo, numa parceria com órgãos do governo paulista. Em 10 anos, 180 mil crianças foram envolvidas. Este ano serão mais 30 mil, em todo o País. O investimento anual no projeto é de US$ 50 mil, com ações já deflagradas.
O coordenador técnico da Escola no Campo, Egidio Moniz, relata que já foram definidas as escolas públicas que sediarão as atividades. A seguir, será elaborado o material didático. Em junho, professores receberão treinamento e, entre agosto e outubro, darão aulas sobre o meio ambiente e técnicas corretas de utilização de produtos químicos.
Em novembro, os escolares estarão prontos para atuar como ‘‘sensibilizadores’’ junto às suas famílias e vizinhos. Depois, apresentarão relatórios sobre resultados observados. Em fevereiro do próximo ano receberão prêmios pelos melhores trabalhos e frases sobre o projeto. Segundo Joseph Shermann, presidente nacional da empresa patrocinadora, o objetivo é ‘‘a melhoria da qualidade de vida das pessoas’’ no campo, porque estarão preservando a saúde e o meio ambiente, e na cidade, porque consumirão alimentos mais saudáveis.
Joseph Shermann observou ainda que ‘‘toda mudança de comportamento está ligada à educação’’, por isso o projeto é iniciado pelos alunos. O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, relatou que, em 96, a organização tinha dificuldades para fazer suas mensagens chegarem às famílias cooperadas. Um programa de Qualidade Total envolvendo 1,2 mil professores de municípios de sua área de ação inovou a atuação junto aos alunos. As mensagens, então, começaram a chegar às famílias, ‘‘rapidamente e com grandes resultados’’, segundo Dilvo Grolli.