LICITAÇÃO LANÇADA -

Escola do Vista Bela deve sair do papel em 2020

Inicialmente, o novo prédio da unidade municipal não comportará a demanda de mil alunos do bairro

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Projeto de como ficará fachada da escola municipal América Sabino Coimbra
Projeto de como ficará fachada da escola municipal América Sabino Coimbra | Pedro Marconi/Grupo Folha
 






O prédio da escola municipal América Sabino Coimbra, no conjunto Vista Bela, zona norte de Londrina, deve sair do papel em 2020. A licitação prevendo a construção foi lançada nesta semana. A prefeitura pretende investir o máximo de R$ 5,8 milhões, em recursos do município. Atualmente, a instituição funciona em dualidade com o Colégio Estadual Vista Bela. São atendidos 580 alunos, sendo a maior parte do P4 ao 5º ano e 38 da EJA (Educação de Jovens e Adultos).


O processo licitatório deve durar até três meses, se nenhuma intercorrência acontecer, e o prazo para conclusão da obra é de 12 meses a partir da assinatura da ordem de serviço. “A intenção é que para o ano letivo de 2021 a escola esteja em funcionamento no prédio próprio”, projetou o prefeito Marcelo Belinati. A estrutura será edificada num terreno de oito mil metros quadrados que fica atrás do colégio estadual. Serão 1,6 mil metros quadrados de área construída e 708 metros quadrados para a quadra de esportes.




A obra contará com dez salas de aula, outras duas para contraturno, espaço para informática, laboratório de ciências, biblioteca, depósito de materiais pedagógicos, refeitório e área de serviço, entre outros ambientes. Entregue há oito anos, o Vista Bela só passou a ter uma escola municipal há dois anos, quando a instituição estadual foi inaugurada e cedeu parte do prédio para o município, que transferiu a Américo Sabino Coimbra do jardim Paulista, também na zona norte, para a localidade.


"Temos uma fila de espera enorme e trabalhamos com lotação completa".

Marli Sander


De 2012 a 2017, a secretaria municipal de Educação gastou cerca de R$ 10 milhões para transportar mil alunos do conjunto para 20 escolas da cidade. Atualmente, aproximadamente 350 meninos e meninas do bairro ainda dependem do transporte escolar. De segunda a sexta-feira elas são distribuídas em seis instituições de ensino diferentes, com o serviço custando R$ 800 mil anualmente.


“Os pais reclamam muito da questão da distância, do tempo que a criança fica no ônibus, a dificuldade que têm quando o filho passa mal. Se existe algum problema e precisa ir até escola não é perto. Por isso, temos uma fila de espera enorme e trabalhamos com lotação completa, pois, entendemos as dificuldades”, destacou a diretora da escola municipal América Sabino Coimbra, Marli Sander.


DEMANDA

Mesmo com a construção, o novo prédio não comportará, inicialmente, a demanda de mil alunos do bairro que precisam do ensino na faixa ofertada pela escola municipal. Aqueles que hoje vão de transporte escolar serão acolhidos na estrutura do Estado, com a dualidade permanecendo por mais algum tempo. “Não é o ideal, porém, acredito que entre a criança ser transportada e ser atendida na dualidade, a segunda opção é melhor. Por conta disso temos servidores a mais, horário diferenciado para entrada, saída e recreio”, elencou a pedagoga.


O planejamento do município é que logo após a entrega da estrutura própria da América Sabino Coimbra seja feita a ampliação por meio de contrapartida por parte de empreendimentos que estão se instalando na região, por meio do EIV (Estudo de Impacto de Vizinhança). “Acreditamos que continue essa dualidade após a inauguração por mais um ou dois anos, no máximo”, destacou Sander. Uma área já foi deixada para o aumento, que deverá ser de mais dez salas de aula.


CONCURSO

Segundo Belinati, um concurso para contratar profissionais da área da educação poderá ser realizado no próximo ano. “Temos um que vence em dezembro e que chamamos cerca de mil professores. A ideia é ter o novo concurso e ir chamando conforme a necessidade”, adiantou. 


"A ideia é ter o novo concurso e ir chamando conforme a necessidade”.

Marcelo Belinati


CMEI 

O CMEI (Centro Municipal de Educação Infantil) Irmã Maria Nivea, no Vista Bela, que atende 100 crianças do P4 e P5, está recebendo melhorias de ampliação, com construção de mais duas salas de aula, que vão gerar mais 80 vagas. O serviço vem sendo executado por contrapartida de empresas. Em 2020, mais quatro salas vão ser edificadas, também por este processo. 


Continue lendo


Últimas notícias