France Presse
As epidemias de gripe como a que afeta atualmente a Europa não são resultado de um vírus transmitido pelo homem, mas de uma chuva de poeira cósmica que cai na Terra, afirmaram cientistas da Universidade de Cardiff (Gales).
A poeira seria produzida por causa da ação das manchas solares muito intensas sobre os cometas que circulam na estratosfera, segundo a equipe dirigida pelo professor Chandra Wickramasinghe. As partículas seriam portadoras do vírus ou conteriam moléculas que serviriam como vetores para o mesmo.
Se estas teses forem verdadeiras, será mais fácil prevenir as epidemias, segundo o médico Wickramasinghe, afirmando ‘‘que existe um prazo muito curto entre o paroxismo da atividade solar e o momento em que seus efeitos caem na Terra’’.
Esta explicação, no entanto, não é mais usada que aquela que atribui a enfermidade a uma engrenagem terrestre, segundo o relatório dos cientistas, intitulado ‘‘O dilema da gripe’’.
‘‘Nunca se demonstrou a hipótese, segundo a qual o vírus da gripe é transmitido de uma pessoa para a outra. Geralmente, só um membro de uma família cai enfermo’’, alega o médico. Wickramasinghe e seus colegas estão convencidos de que a teoria das manchas solares é válida para a epidemia que matou mais 20 milhões de pessoas no mundo em 1918.
‘‘Uma catástrofe similar poderia voltar, caso os conselheiros governamentais continuem privilegiando o dogma médico em vez de proceder a uma análise mais profunda do assunto’’, argumentaram.