SEM FINS LUCRATIVOS -

Entidade de Londrina tem prejuízo de R$ 90 mil com chuva e pede doações

Credequia atua na reabilitação de pessoas com dependência em álcool e drogas, além de transtornos mentais

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

 

Espaço de lazer, que tinha sido reformado, foi destruído
Espaço de lazer, que tinha sido reformado, foi destruído | Divulgação
 


Atuando em Londrina há 14 anos, o Credequia (Centro de Recuperação de Dependentes Químicos e Alcoólatras) ficou com um grande prejuízo após as chuvas que assolaram a cidade na semana passada. As perdas chegam a cerca de R$ 90 mil, de acordo com a entidade. A enxurrada do rio que cruza a instituição, localizada na rodovia João Alves da Rocha Loures, na região sul, destruiu a área de lazer, que havia sido reformada recentemente. 


“Perdemos camas, colchões, a estrutura das piscinas, academias. São áreas fundamentais, porque as atividades físicas de lazer são associadas ao tratamento. Os idosos têm acompanhamento, adolescentes têm necessidade e garantia do esporte e do lazer”, explicou Tiago de Oliveira Castro, presidente da entidade. O Credequia tem entre seus focos a reconstrução de uma vida com qualidade e também atua junto às pessoas com transtornos mentais. 


O Credequia atende mensalmente 200 pacientes de forma gratuita, oriundos do Paraná, em especial a região de Londrina, de São Paulo, Mato Grosso Sul e Mato Grosso. São pessoas encaminhadas a partir de diversos serviços públicos, como assistência social e saúde. A entidade mantém convênio com as esferas municipal e federal, dispondo de unidade masculina, feminina, para adolescentes e gestantes. 


Os pacientes permanecem em sistema de internação de nove a 12 meses, sendo acompanhados por equipe psiquiátrica, médica em geral, assistência social, educadores físicos, profissionais de pedagogia, entre outras áreas. A instituição ainda oferta sistema ambulatorial gratuito, com atendimento psicológico.  


“A maioria das pessoas está em situação de vulnerabilidade, adolescentes de abrigos, idosos com abandono de incapaz. Temos projeto de capacitação profissional. É um trabalho técnico para reconduzir a postura e comportamento do paciente para a convivência em sociedade”, elencou. 


AJUDA

Após o temporal, a entidade sem fins lucrativos fez um remanejamento com o que tinha em caixa para os reparos emergenciais. Ainda foi feita renegociação com fornecedores. Diante de um gasto tão expressivo com os danos, a direção está promovendo uma campanha para arrecadar parte do que foi perdido, aceitando doações de beliches, colchões, roupas de cama ou dinheiro. “O que recebemos é contrapartida governamental, mas que custeia parte das despesas. Com outros projetos vamos angariando recursos (para nos mantermos)”, destacou. 


SERVIÇO - Quem quiser ajudar podem entrar em contato pelo fone (43) 3029-9988 ou (43) 99614- 9382 (WhatsApp). 


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1

 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo