Umuarama - Pelo menos 70 empresários de Umuarama já registraram reclamações no Procon contra empresas que supostamente editam listas telefônicas. Somente nos últimos 15 dias foram 30 queixas contra uma empresa de Salvador (BA). Os reclamantes alegam ter pago valores que variam de R$ 50,00 a R$ 130,00 para incluir o nome da empresa em guias telefônicos, mas não receberam nenhum catálogo. O Procon alerta aos empresários que receberem contratos ou boletos bancários de adesão, sem ter solicitado o serviço, para que não façam o pagamento porque podem ficar no prejuízo.
O assessor jurídico do Procon em Umuarama, Luiz Sergio Toledo Barros Júnior, diz que o golpe não é novo e vem sendo aplicado em todo o Brasil. Só em Umuarama há reclamações contra 25 empresas de vários Estados, a maioria de São Paulo. Numa das queixas mais comuns, as editorias enviam boletos bancários para as empresas. Os que pagam, nunca recebem as listas prometidas. Barros Júnior acredita que existam ''quadrilhas bem organizadas que abrem empresas publicitárias com o fim de aplicar golpes''.
Em outra modalidade do golpe, as empresas receberam contratos que previam dois pagamentos de R$ 50,00. Depois de assinados os contratos, receberam carnês com mais 12 parcelas a pagar. Segundo Toledo Júnior, todas as reclamações serão encaminhadas ao Procon estadual e à Secretaria Nacional de Direito Econômico, do Ministério da Justiça. ''Como são empresas de outros Estados, não temos como investigar e identificar os responsáveis. Caberá ao Ministério da Justiça tomar providências '', disse.