Polícia acha ossos em
mansão de desaparecido
A Polícia Civil de Foz do Iguaçu encontrou ontem ossos enterrados no quintal de uma mansão cujo dono, o empresário húngaro Ivan Jovancsevics, está desaparecido há mais de dois anos. A busca por pistas começou depois que denúncias anônimas informaram sobre pessoas que estariam vivendo ilegalmente na casa.
Entre os pedaços da ossada estavam metade de uma arcada dentária e partes do que poderia ser uma mandíbula, além de restos de pêlos, uma meia e uma cinta. Resíduos de carvão apontam que o suposto corpo teria sido queimado antes de ter sido enterrado. ‘‘Ainda precisamos confirmar se estes ossos são humanos. Enviaremos tudo ao Instituto de Criminalística em Curitiba para análise’’, disse o delegado responsável pelo caso, Renato Araújo, confirmando também a prisão dos dois suspeitos.
Na tarde de anteontem, o brasileiro Enrique Alliana, 25 anos, e o chinês Hong Jun, 25, foram presos acusados de invasão de domicílio, suspeita de sequestro e porte ilegal de armas. Os agentes encontraram um fuzil, uma pistola, uma carabina e centenas de balas e cartuchos. Na delegacia, Alliana apresentou uma procuração, assinada pelo húngaro e registrada em cartório, que o autorizava a administrar e morar na mansão, avaliada em R$ 400 mil.
O advogado dos suspeitos, Marcelo George Ferrari, informou ontem que os documentos estavam todos em ordem. Ele contou também que Alliana e Jovancsevics eram amigos desde que o húngaro chegou à cidade, por volta de 1985. ‘‘Segundo meus clientes, o proprietário da casa voltou para a Hungria há dois anos. O último contato que tiveram com ele foi há seis meses, por telefone’’, disse Ferrari, enquanto acompanhava as escavações.
Uma das denúncias recebidas pela polícia comentava que o empresário havia saído de Foz, deixando dívidas no comércio da cidade. Um superintendente da Polícia Civil entrou em contato com o consulado da Hungria no Brasil em busca de informações sobre o desaparecido, mas até ontem não havia recebido resposta.
Jovancsevics construiu a casa entre 1998 e 99. Segundo os vizinhos, na época ele instalou uma boate nos fundos, que funcionou por pouco tempo. Hoje, somente um globo luminoso restou sobre a piscina interna. Os resultados das análises dos ossos saem em 30 dias.