‘Eles pediram cestas
básicas, mas não dei’’
O advogado Leonel Siqueira disse ontem que não teme a divulgação das fitas na imprensa. Ele falou que já tinha conhecimento da existência destas fitas e que teria sido procurado pelos pais de Edson Faria, que queriam benefícios em troca das gravações. ‘‘Eles chegaram a me pedir mesmo cestas básicas, mas eu não dei’’, declarou ele. Siqueira afirmou que suspeita que as fitas tenham sido vendidas para a polícia. ‘‘Tenho certeza absoluta que se as gravações forem verdadeiras, eu não vou dizer nada que possa me comprometer ou comprometer a veracidade do depoimento dado por Faria até agora’’, salientou.
O advogado disse que nunca chegou a conversar com Faria durante as diversas visitas que teria feito para o casal. De acordo com ele, um parente do mecânico teria o procurado para pedir proteção. ‘‘Eles estavam com medo da polícia. Por isto pediram a nossa interferência’’, relembrou. Segundo as declarações de Siqueira, todas as promessas feitas para os pais do assassino foram combinadas com a Promotoria de Investigações Criminais (PIC).
Para Leonel Siqueira, a divulgação destas fitas é proposital. ‘‘Isto não passa de uma cortina de fumaça para que a polícia não tenha que explicar quem mandou matar o Donha e como o inquérito errou dizendo que o crime foi de latrocínio e não político’’. (L.P.)