|
  • Bitcoin 120.733
  • Dólar 5,0906
  • Euro 5,2449
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 28/07/2022, 16:48

EJA em Londrina tem matrículas abertas o ano todo

Modalidade de ensino voltada para pessoas a partir de 15 anos é ofertada em 36 escolas municipais, sem limitação de vagas

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 28 de julho de 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Vivian Honorato/N.com
menu flutuante

A EJA (Educação de Jovens e Adultos) em Londrina conta atualmente com 650 alunos matriculados nas 36 escolas municipais que ofertam a modalidade para pessoas a partir de 15 anos. Mas esse número pode ser muito maior, segundo a coordenadora da EJA, Dilceia Cardoso de Lima.  

“Não há vagas limitadas por turma e, se surgir uma demanda específica em alguma região, há a possibilidade de abrir novas turmas. Além disso, as matrículas podem ser realizadas a qualquer momento do ano letivo. Basta dirigir-se a uma unidade escolar que fará os devidos encaminhamentos”, diz Lima, acrescentando que em breve será feita uma chamada pública para convidar novos alunos.  

“Cada professor percorre as ruas do bairro junto com os coordenadores e alguns alunos, convidando aqueles que não concluíram os anos iniciais do ensino fundamental (do 1º ao 5º ano). Eles vão nos comércios, colam cartazes e pegam o contato de quem tem interesse. Na sequência, fazemos um trabalho de busca ativa dessas pessoas”, conta.  

Em abril deste ano, essa mobilização trouxe um resultado bastante positivo com cerca de 100 novas matrículas. Agora, a expectativa é buscar mais alunos com uma nova ação programada para este segundo semestre, provavelmente em agosto e setembro.  

FAIXA ETÁRIA

A EJA é uma modalidade de ensino da Educação Básica, que tem por objetivo garantir a todos os cidadãos que, por diferentes razões não concluíram sua escolaridade, o direito de retomar seus estudos. A EJA oportuniza ensino de qualidade e adequado às especificidades das características do público adulto a que se destina, propiciando maiores condições de mudança da sua realidade social. 

De acordo com a coordenação, do total de alunos matriculados, 14% têm entre 15 e 30 anos, a maioria (50%) está na faixa etária de 30 a 59 anos e 36% são alunos com mais de 60 anos. “A maior parte, cerca de 70% são mulheres donas de casas sozinhas e que buscam os estudos para se qualificar para o mercado de trabalho”, comenta.  

'HOJE CONSIGO LER UMA PALAVRA OU OUTRA'

Como Nazaré de Fátima Fagundes Milena, de 60 anos. Ela frequentou a EJA há cerca de quatro anos, mas teve que interromper os estudos por conta do trabalho. Recentemente, ela retornou à sala de aula para aprender a ler e escrever.

“Agora que estou com minha vida um pouco melhor, resolvi voltar porque estudar nunca deixou de ser um plano. Vim do sítio e arrumei um trabalho para cuidar de uma casa, mas é difícil você não saber ler uma embalagem. Moro sozinha, vou ao banco, mercado, farmácia e médico. Hoje já consigo ler uma palavra ou outra e a sensação já é muito diferente”, diz Milena, que trabalha como faxineira.  

Ela está no 1º ano e conta que ainda é difícil “juntar as letras”. Mas, para ela, frequentar a escola vai além do aprendizado. “Envolve amizade, disposição e novos planos. Depois que eu terminar a EJA quero me aprofundar nos estudos de cozinha. Sou cozinheira, mas queria fazer disso uma profissão”, afirma.  

LEIA TAMBÉM: 

Londrina tem 2.700 crianças à espera de vaga em creche

VIVÊNCIA DO ALUNO 

A EJA em Londrina, ofertada pela secretaria municipal de Educação, conta com 108 profissionais com formação específica e contínua para atuação direta com a Educação de Jovens e Adultos. O processo de ensino e aprendizagem leva em consideração a vivência do aluno, adequando a forma de ensinar às características, interesses, condições de vida e de trabalho dos estudantes. Na grade constam disciplinas como matemática, língua portuguesa, geografia, história, ciência, arte, educação física e educação religiosa. 

O professor Hermes Vieria dos Santos, na Escola Municipal Nina Gardemann (zona oeste), trabalha na modalidade há mais de 14 anos e ressalta que a EJA é hoje um grande atrativo para as pessoas recuperarem um tempo que foi negado a elas no passado. “A possibilidade de estudar era muito remota a algumas pessoas e elas foram ficando à margem. A sociedade avançou, inclusive no campo do trabalho e elas foram se sentindo cada vez mais excluídas. Em sala de aula, trabalhamos muito questões de cidadania porque a busca desse resgate de conhecimento envolve também a autoestima, o amor próprio, segurança e o sentimento de pertencimento”, afirma. 

 COMO PARTICIPAR 

Os interessados devem se dirigir à escola municipal mais próxima de sua residência, apresentar RG e um comprovante de residência. Após a matrícula, o estudante será encaminhado para a turma adequada ao seu nível de conhecimento, o que lhe dará condições de aprender todos os conteúdos essenciais para sua alfabetização e evolução nos níveis escolares. 

A EJA oportuniza 1.000 horas de curso, divididas entre alfabetização e pós-alfabetização, as quais podem ser completadas em três anos, no mínimo. O aluno cumpre três horas diárias de aulas, que podem ser ministradas à noite ou de manhã e à tarde. Os alunos têm acesso à alimentação e todo o material pedagógico necessário para realização de suas atividades escolares diárias. (Com N.Com) 

***

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1