Paulo Ubiratan
De Londrina
Começaram ontem as obras de adequação do trecho da BR-376 entre Mauá da Serra a Ortigueira, cujo o projeto prevê a construção de quatro pistas para tráfego. Neste mesmo trecho encontra-se a região da Serra do Cadeado, um dos locais mais críticos e com maior número de acidentes nas estradas do Paraná. A principal causa do acidentes é o grande número de curvas que existe no local. A rodovia é pedagiada pela Rodonorte, que contratou para a terraplenagem daquele trecho a empresa londrinense MSL de Engenharia.
Segundo o engenheiro da MSL, Rosalvo Lima Rocha Neto, este trecho será o primeiro a ser duplicado na região e deverá fica pronto até o ano 2002. Ele garantiu que o projeto pretende encurtar a extensão daquele trecho porque será diminuído o número de curvas. As obras iniciaram por volta das sete da manhã com cinco tratores, quatro caminhões e uma equipe de topografia. O engenheiro disse que serão construídos diversos viadutos para viabilizar o encurtamento da rodovia e deverão trabalhar por volta de 180 homens.
Apesar da proposta de duplicação ter sido bem aceita pelos caminhoneiros, diversos trechos do asfalto e acostamento daquele rodovia estão apenas remendados, tornando perigosa a viagem. Outro problema é a sinalização entre Londrina e a Serra do Cadeado, que está coberta pelo mato. ‘‘Estão cobrando um pedágio muito alto, não se justifica este problemas (remendos e mato) colocando em risco as nossas vidas. A duplicação deste trecho (Mauá da Serra a Ortigueira) é necessário, mas que não fique somente na conversa, para calar a nossa boca por causa do aumento do pedágio’’, desabafou o caminhoneiro Mário Arthur da Silva. Junto com ele estavam mais cinco caminhoneiros que concordaram com as suas declarações.
A encarregada do setor de imprensa da Rodonorte, em Ponta Grossa, Simoni Suzzin, afirmou – sem definir data – que o problema do asfalto e do mato na BR-379 serão resolvidos brevemente pela equipe de conservação. ‘‘Além de erradicar o mato do acostamento, a proposta é recapar toda a rodovia’’, afirmou Simoni. Ela também disse que a duplicação da rodovia na Serra do Cadeado é prioridade e que, somente na primeira fase da obra, serão gastos R$ 28 milhões.