A família de Enedino e Maria Goretti Medeiros enfrenta uma situação difícil. A irmã dele, Benvinda, mora na Inglaterra e no início do mês encaminhou um presente para a família: roupas usadas e material escolar para as crianças. Apesar de ser doação de objetos usados, o material foi apreendido pela Receita Federal e a família recebeu um documento solicitando o pagamento de US$ 245, quase R$ 900,00 para a retirada da caixa. A mercadoria corre o risco de ir a leilão se o valor não for pago.
''Não tenho como pagar esse valor'', desabafou Maria Goretti. Ela contou que a família vive do salário de seu marido Enedino, que recebe cerca de R$ 400,00 como porteiro e também lavando telhados e calçadas por conta própria. O telefone está cortado e as contas de água e luz, atrasadas. A prestação da casa não é paga há três anos e Enedino pensa em deixar o emprego para fazer um acerto e diminuir as dívidas.
As duas filhas do casal, Elen, 14 anos, e Jéssica, 11, estão indo para a escola com um caderno e uma caneta, pois o material escolar dado de presente por Benvinda está retido. ''Estou rezando para que pelo menos o material escolar seja liberado'', apontou. Ela contou que na encomenda, de novo havia somente um tênis para o filho caçula, Emanuel, de dois anos. Em dezembro, a família já havia recebido roupas e não teve problema.
Segundo a auditora fiscal da Receita Federal, Maria Elizabeth Albuquerque, toda mercadoria que ultrapassa a cota de US$ 50 é tributada. O chefe do setor de controle aduaneiro da receita, Alberto Hiroshi Yamamoto, informou que a tributação é de 60% do valor da mercadoria, além da taxa de remessa. A apreensão da mercadoria é feita por amostragem e por isso a família já recebeu outras remessas sem problemas.