Discussão por causa de fiado acaba em morte Marta Medeiros De Maringá Especial para a Folha A Polícia Civil de Sarandi (7 quilômetros a leste de Maringá) prendeu em flagrante o comerciante Luiz Carlos Pereira, acusado de atacar dois primos, provocando a morte de um deles. O cano da arma do comerciante, uma Taurus calibre 38, chegou a ‘‘entortar’’ devido à violência das pancadas que Pereira desferiu em uma das vítimas. O caso aconteceu anteontem, por volta das 21 horas, quando os primos José Carlos Batista e Adélcio Mário Batista chegaram em um bar no bairro Jardim Verão, zona norte da cidade, de propriedade de Pereira. O comerciante contou na delegacia que os primos queriam tomar cerveja e pagar fiado. Diante da negativa de Pereira, os primos teriam iniciado uma discussão intimidando o comerciante. Segundo o delegado José Maurício Lima, Pereira alegou legítima defesa. O comerciante descarregou a arma de seis tiros contra os primos. Dois tiros atingiram José Carlos no peito e no abdômen. Ele também levou uma coronhada na cabeça. Conforme o Instituto Médico-Legal (IML) de Maringá, José Carlos teve um trauma profundo no crânio. O delegado disse que no cano da arma havia cabelo e pele. Adélcio Mário, que levou um tiro no ombro esquerdo e outro que transfixou o pescoço, está internado na UTI do Hospital Metropolitano de Sarandi. Segundo os médicos, Adélcio ‘‘renasceu’’, porque os disparos poderiam ter atingido órgãos vitais, deixando-o tetraplégico ou morto.