|
  • Bitcoin
  • Dólar
  • Euro
Londrina

DEFICIT 5m de leitura Atualizado em 04/01/2022, 18:54

Demanda por bolsas de sangue aumenta no Hemocentro de Londrina

Feriados e a retomada das cirurgias eletivas elevaram a procura; unidade deve voltar a aceitar o comparecimento espontâneo presencial de doadores

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 04 de janeiro de 2022

Daniel Muniz - Especial para a FOLHA
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O período de férias e feriados de fim de ano trouxe um aumento na procura por bolsas de hemocomponentes no Hemocentro Regional de Londrina do HU (Hospital Universitário) de Londrina. Outro fator que alavancou essa demanda foi a retomada das cirurgias eletivas, que tinham sido suspensas no início da pandemia de Covid-19 e voltaram a ser realizadas no Paraná no fim de 2021.

Imagem ilustrativa da imagem Demanda por bolsas de sangue aumenta no Hemocentro de Londrina
|  Foto: Jaelson Lucas - ANPr
 

O número de doadores, entretanto, não aumentou e os hemocentros continuam com dificuldades em manter o estoque de bolsas de sangue. “A demanda dobrou com a volta das cirurgias eletivas postergadas durante a pandemia e o aumento da exposição de pessoas a acidentes automobilísticos no fim de ano. É uma pressão maior nos hemocentros de todo o país e aqui não é diferente”, afirmou Fausto Celso Trigo, coordenador do Hemocentro do HU da Universidade Estadual de Londrina.

“Atualmente, o estoque não está em um nível crítico, mas também não está bom. Ainda estamos com um deficit de doadores em relação à demanda. É uma realidade difícil durante todo ano, mas que se intensifica em feriados”, complementou.

Além do HU, o Hemocentro atende os hospitais do Câncer, Eulalino Ignácio de Andrade (Zona Sul), Dr. Anisio Figueiredo (Zona Norte) e a Maternidade Municipal Lucilla Ballalai na cidade. Ao todo, são atendidas 22 instituições da 17ª Regional de Saúde.

São coletados aproximadamente 1.250 bolsas de sangue por mês, que são repassadas em sua totalidade para os hospitais da região. Não há reserva ou excesso de sangue. Cada bolsa gera três hemocomponentes de concentrado de hemácias, plaquetas e plasmas, podendo atender, em média, até 3750 pacientes mensalmente.

SISTEMA HÍBRIDO 

Desde março de 2020, o Hemocentro do HU adotou o sistema de agendamento prévio on-line para minimizar os riscos de exposição à Covid-19 e o número de doadores diminuiu. “Até por ainda estarmos nesse período de medidas restritivas, não observamos um aumento nas doações de sangue, mesmo com o avanço da vacinação. Para 2022, pretendemos adotar um sistema híbrido, mantendo o agendamento prévio e retomando o comparecimento espontâneo presencial para equilibrar as duas demandas”, explicou Trigo.

Para fazer a doação de sangue é preciso ter entre 18 e 60 anos, pesar no mínimo 50 quilos e estar em bom estado de saúde. É necessário levar um documento oficial com foto, estar alimentado e bem hidratado. A recomendação é que se espere três horas depois de uma refeição farta e uma hora após uma refeição leve.

Quem foi vacinado recentemente deve esperar uma semana para fazer a doação. Pessoas que tiveram quadros infecciosos devem aguardar 14 dias após a recuperação. No caso de Covid-19, o tempo de espera é de 30 dias. Também há restrições para quem fez procedimentos cirúrgicos, seis meses de espera para cirurgias grandes e três para pequenas.

SERVIÇO - O Hemocentro do HU funciona de segunda à sexta, das 13h às 18h30, e no sábado, das 8h às 17h30, na rua Cláudio Donisete Cavalieri, 156, no jardim Aruba. O agendamento deve ser feito no site da Secretaria da Saúde do Paraná. Mais informações pelo telefone (43) 3371-2218.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM