Dançarina é indiciada por praticar aborto
A dançarina C.A.L., 24 anos, de Maringá, foi indiciada em inquérito por ocultação de cadáver. Ela teria praticado aborto anteontem e enterrado o feto de três meses no quintal da boate onde trabalha. C. nega o aborto, mas não soube explicar à polícia por que enterrou o feto. Segundo versão da polícia, a dançarina foi internada no Hospital Universitário com uma forte hemorragia. Um telefonema anônimo alertou a polícia para a possibilidade de aborto. De acordo com o delegado Roberto Fernandes, C. foi submetida a exame do Instituto Médico-Legal (IML). Se for comprovado o uso de medicamentos ou outro método para a interrupção da gravidez, ela pode ser indiciada também pelo crime de aborto, com pena de um a três anos de detenção.