De Apucarana e
Londrina
A polícia de Mauá da Serra (60 km ao sul de Apucarana) começou a investigar ontem o assassinato de Francisco Pedro de Souza, 88 anos, e de Aparecida Cunha de Souza, 78 anos. Os corpos foram encontrados ontem pela manhã, na chácara onde morava o casal, às margens da BR-376, na região da Serra do Cadeado.
Vizinhos do casal observaram Aparecida caída no quintal da casa e comunicaram a polícia. Ao vistoriar o local, o delegado Myrles Eudes da Silva encontrou também o corpo de Souza, que foi deixado nos fundos da propriedade.
Conforme levantamento preliminar da polícia, a mulher foi morta com tiro em um dos ouvidos e seu marido recebeu vários golpes de madeira na cabeça. Os corpos foram encaminhados à tarde para o Instituto Médico-Legal (IML) de Apucarana.
Na residência do casal investigadores observaram que apenas uma bolsa, que continha documentos, havia sido revirada. ‘‘Esse detalhe deixa fortes indícios de que houve um latrocínio’’, informou o delegado. Segundo ele, existem suspeitas de que o duplo homicídio tenha sido praticado por dois andarilhos que foram vistos domingo, naquela região.
Em Arapongas, o delegado Édimo Ermenegildo deve ouvir amanhã dois menores que presenciaram a morte do estudante Gustavo Benetti Lourenço, de 15 anos, ocorrida sábado à tarde, na Vila Triângulo. O adolescente foi morto com um tiro no pulmão dentro da casa de E.R.M.J., seu amigo de 15 anos. M. J. estava foragido desde o incidente e se apresentou ontem para depor. Ele disse que Lourenço foi vítima de um disparo acidental. O adolescente contou que foi mostrar o revólver do pai ao amigo, achando que a arma estava descarregada e ela disparou.
Na versão anterior, a Polícia Militar teria apurado, com base no testemunho dos outros dois menores, que um desconhecido havia efetuado o disparo depois de invadir a residência. Os pais de E.R.M.J. não estavam em casa. O caminhoneiro E. R. M., 38 anos, pai de E.R.M.J., foi indiciado por porte ilegal de arma e responderá a inquérito. O revolver calibre 38 usado pelo filho não tinha registro.