Corpo de rapaz é encontrado em fundo de fossa


Fábio GalãoReportagem Local
Fábio GalãoReportagem Local

Bombeiros e policiais civis de Londrina localizaram, no início da tarde de ontem, o corpo de Luís Leonardo Fantin, 24 anos, o ''Serrinha'', que teria sido morto com golpes de foice na noite de 26 de dezembro. O cadáver estava enterrado numa fossa em uma chácara localizada nas margens do Ribeirão Quati, nos fundos da Avenida Brasília (Zona Oeste de Londrina). Com essa morte, Londrina fechou o ano de 2003 com o número recorde de homicídios: 193.
A Polícia Civil soube do crime através de denúncias anônimas. Quando os policiais, Bombeiros e a equipe do Instituto Médico-Legal (IML) chegaram à chácara para retirar o corpo, foram recebidos pelo servente Jovino José do Carmo Soares. Ele disse que testemunhou o crime e que o autor do homicídio seria Geraldo Inácio da Silva, 27 anos.
Segundo a testemunha, Fantin e Silva moravam juntos na chácara juntamente com uma mulher identificada como Vânia, que seria companheira do segundo rapaz. Eles morariam num casebre no local e alugariam um cômodo para Soares. ''Na noite do crime, eu estava no meu quarto. Os dois rapazes estavam bebendo pinga na frente da casa e de repente começaram a discutir. Parece que o Leonardo (Fantin) devia R$ 15 para o Geraldo (Silva)'', afirmou Soares.
A testemunha relatou que teria ouvido os gritos de Vânia e, quando se dirigiu para a frente da casa, viu Fantin no chão, ensanguentado. Ainda de acordo com Soares, a vítima teria recebido golpes no pescoço. ''Geraldo (Silva) pediu para eu ajudá-lo a se livrar do corpo. Eu fugi'', disse o servente. Soares afirmou que não fez nenhuma denúncia por medo, e que só voltou ontem à chácara porque sabia que os policiais estariam lá.
Pela manhã, a Polícia já havia localizado na chácara a foice que teria sido usada para praticar o crime. O objeto estava sujo de sangue. Quando os policiais chegaram ao local, a fossa estava cheia de terra e sujeira. Os bombeiros escavaram uma profundidade de cerca de um metro até localizarem o corpo. No final da tarde, o cadáver foi encaminhado ao IML para ser submetido a perícia.
O delegado Joaquim Antônio de Mello realizou as investigações preliminares mas já adiantou que o caso será encaminhado ao 3º Distrito Policial (DP). Ainda ontem Soares prestou depoimento. Segundo Mello, a Polícia agora tentará localizar Silva e Vânia, para que eles dêem suas versões sobre o crime.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo