DIA DO TRABALHADOR -

Consumidores são surpreendidos com comércio de rua fechado em Londrina

Sem acordo trabalhista entre os sindicatos patronal e de trabalhadores, as lojas também permanecerão fechadas neste domingo (2)

Micaela Orikasa - Grupo Folha
Micaela Orikasa - Grupo Folha

 

Consumidores são surpreendidos com comércio de rua fechado em Londrina
Micaela Orikasa/Grupo Folha
 


A família de Reinaldo da Silva Alves planejou aproveitar o feriado do Dia do Trabalhador, neste 1º de maio, com um passeio pelo centro de Londrina. A expectativa era fazer compras, mas foram surpreendidos com o comércio fechado.  



“Viemos dispostos a pagar algumas contas também, mas está tudo fechado para nossa surpresa. O jeito é dar uma caminhada e voltar para casa”, disse Alves. Um grupo de vendedoras também foi pego de surpresa ao chegar no trabalho. “Estamos esperando ver o que acontece, tentando falar com alguém da loja. Já estávamos preparadas para encarar o final de semana trabalhando, mas pelo jeito, alguma coisa mudou”, comentou uma delas, que pediu para não ser identificada.  



A expectativa da população e de alguns trabalhadores era de que o comércio funcionasse a partir das 9h neste feriado, mas o cenário foi outro. Apesar da movimentação no Calçadão, as lojas estavam com as portas fechadas, exceto lanchonetes, farmácias e um ou outro estabelecimento, no segmento de artigos para casa, que resolveu funcionar pela manhã.   


 

Consumidores são surpreendidos com comércio de rua fechado em Londrina
Micaela Orikasa/Grupo Folha
 



SEM ACORDO 



Por meio de um decreto publicado no diário oficial pela Prefeitura de Londrina, na noite de quarta-feira (28), os estabelecimentos comerciais foram liberados para funcionar em horários especiais, em razão do Dia das Mães, segunda principal data de venda para os lojistas, atrás apenas do Natal.  O município liberou a abertura para hoje (1º), feriado do Dia do Trabalhador, e domingo (2), desde que respeitados os acordos e convenções coletivas dos sindicatos das respectivas categorias. 



As entidades se manifestaram contrárias ao funcionamento do comércio. Em nota, o Sincoval (Sindicato do Comércio Varejista de Londrina) explica que “o Decreto Municipal 474 regulamenta somente a relação entre os lojistas e o município, não tendo qualquer repercussão nas relações de emprego. Assim, o trabalho em feriados continua dependendo da anuência dos trabalhadores, através da entidade sindical que os representa. E o trabalho em domingos, diferente do contido no Decreto, não depende de anuência dos trabalhadores”. 



O documento assinado pelo presidente do Sindicato, Ovhanes Gava, recomenda aos lojistas do comércio varejista de rua que não exijam a prestação de serviços dos trabalhadores nos dias 1 e 2 de maio, e cita ainda que a CCT do comércio de rua, com vigência prorrogada até o final de junho, prevê a proibição do trabalho em domingos e feriados, tornando as empresas que contarem com o trabalho de seus empregados em tais datas, sujeitas à imposição de multas previstas na convenção coletiva e na legislação aplicável. 



No entanto, a entidade esclarece que a abertura do comércio em horário especial para o Dia das Mães está regulamentado e prevê a abertura das lojas e a prestação de serviços até às 21h, na quinta e na sexta-feira e até às 18h no sábado (8). Sobre esses horários, o Sincoval aguarda a regulamentação pelo município.  



A FOLHA fez contato com o Sindecolon (Sindicato dos Empregados no Comércio de Londrina), mas não obteve resposta até o momento.  (Colaborou Pedro Marconi)



Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

 

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Assine e navegue sem anúncios [+]

Continue lendo