INCLUSÃO SOCIAL -

Conheça o Instituto Pernas Preciosas

Entidade de Londrina aposta no esporte para reabilitação de pessoas com deficiência

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

Há quase três anos, o Instituto Pernas Preciosas, em Londrina, tem valorizado o esporte como o caminho de reabilitação e inclusão social para pessoas com deficiência. A entidade foi fundada após uma experiência vivenciada pela atual coordenadora, Angelita Bonifácio, que foi convidada para empurrar um cadeirante numa corrida de rua. 

 

Conheça o Instituto Pernas Preciosas
Pedro Marconi - Grupo FOLHA
 

 

“Isso me despertou um grande interesse em poder ajudar e convidar mais pessoas com deficiência para participar das corridas de rua. ‘Emprestei’ minhas pernas para ele, fiz dois quilômetros e ele sorrindo, alegre. Relatou que estava em depressão e aquilo se tornou grandioso de mais. A partir disso comecei a chamar amigos e familiares para também ‘emprestarem’ as pernas”, relembrou. 


LEIA TAMBÉM:

- Ação voltada a motociclistas busca conscientização em Londrina


O projeto começou com basquete para cadeirantes e foi crescendo com o tempo. Em 2019 passou a contar com a paranatação e o crossfit. Atualmente são oito modalidades, com 89 participantes. Um deles é o João Victor Lopes, 23. O jovem sofreu um grave acidente de moto em fevereiro do ano passado enquanto voltava do trabalho. Ele seguia pelo Contorno Norte de Ibiporã (Região Metropolitana de Londrina) no momento em que um carro na contramão o atingiu.  


O rapaz afirmou que acordou na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) quatro dias após a batida, intubado, com a bacia quebrada e sem sentir as pernas. Uma ressonância indicou que ele havia sofrido lesão medular, resultando na paraplegia. “No início foi bem difícil, principalmente quando recebi a notícia”, comentou. João depende de cadeira de rodas e treina crossfit, já tendo participado de campeonato. “Se não fosse o instituto, provavelmente, estaria em casa sem fazer nada. Quando conheci os outros meninos vi que a vida não acabou, continua. Faço tudo normal”, comemorou. 


Um dos sonhos da direção e dos integrantes do instituto é construir um centro de treinamento paralímpico na cidade. “Esporte salva vidas, devolve a vontade de viver, a coragem, garra. A pessoa vê que pode ultrapassar limites, que é capaz. Não é porque está em cadeira de rodas ou perdeu uma perna que não pode fazer nada. O esporte possibilita a ressocialização da pessoa com deficiência na sociedade”, frisou Angelita Bonifácio. 


SERVIÇO - O contato com o Instituto Pernas Preciosas pode ser feito pelo telefone (43) 3029-4113. O Instagram é @pernaspreciosasoficial


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo