Os índios universitários querem criar uma entidade que possa administrar os recursos financeiros repassados pelos governos estadual e federal. Uma reunião será marcada em Guarapuava até o final do mês.
Juntamente com estudantes de Londrina e Guarapuava, o estudante Ivan Bridi-Bridi Rodrigues está colhendo informações para fundar uma associação coordenada pelos próprios índios. ''Já estamos com um modelo de estatuto e com cópias das leis. Assim que sair a lista dos aprovados do vestibular (2003) dos índios, vamos agendar a reunião'', disse o caingangue.
A intenção do grupo é agilizar a liberação das verbas públicas para que não ocorram atrasos, como o registrado desde setembro do ano passado.
Antes da legislação estadual determinar vagas para índios em universidades, já havia um projeto desenvolvido em parceria entre a Fundação Nacional do Índio (Funai) e instituições de ensino particulares. De acordo com a programadora educacional da Funai em Curitiba, Terezinha Velho dos Santos, 15 índios que integram o projeto estão recebendo os benefícios normalmente.
''Quanto à Casa do Estudante Indígena, realizamos discussões em todo o Estado e ficou decidido que serão mantidos os atuais alojamentos e pensões, já que o número de alunos ainda é pequeno'', destacou Terezinha.