ENSINO INTEGRAL -

Colégio Dario Vellozo terá mudanças na matriz curricular

Turmas terão o acréscimo de conteúdos em tecnologia e de incentivo ao protagonismo dos alunos em relação aos estudos

Micaela Orikasa - Grupo Folha
Micaela Orikasa - Grupo Folha

A partir de 2020 o Colégio Estadual Dario Vellozo, na zona oeste de Londrina, terá mais disciplinas incorporadas na matriz curricular. A mudança integra um novo modelo de ensino que está sendo planejado na rede estadual de ensino para os próximos anos.  A escola oferta, desde o início deste ano, educação em tempo integral para todos os 170 alunos nas turmas de ensino fundamental II e médio.


Colégio Dario Vellozo terá mudanças na matriz curricular
Gina Mardones - Grupo Folha
 


De acordo com o diretor Paulo Sérgio Saganello, os estudantes do ensino médio terão no currículo do ano que vem o acréscimo de “Estudos Orientados”, “Protagonismo Juvenil” e “Projeto de Vida”. “A ideia é que eles desenvolvam autonomia para organizar os estudos, tendo o professor com um tutor nesse processo. No fundamental, os alunos terão ainda a disciplina de “Projeto de Vida”, que basicamente é o direcionamento e desenvolvimento de suas habilidades dentro de uma proposição deles mesmos”, afirma. Os alunos do 6° ao 9° ano terão também contato com os temas “Empreendedorismo” e “Programação e Tecnologia Computacional”. 




A escola foi a primeira no município a trabalhar com educação em tempo integral no ensino médio. Saganello comenta que a unidade participou de um projeto piloto do governo do Estado em 2016, junto com unidades de Cascavel (Oeste) e Cantagalo (Centro-Oeste), na implantação do ensino integral para o 1° ano do ensino médio. No caso do Dario Vellozo, a modalidade ainda abrangeu alunos do 6° ano do fundamental II.  


RENDIMENTO

Essa experiência permite a direção afirmar que o ensino integral é o melhor caminho para a educação. “Temos uma escola hoje sem evasão e que é muito procurada pelos pais. Os alunos têm se demonstrado mais focados nos estudos e isso tem surtido efeito no rendimento deles devido à maior exposição ao conteúdo, pois eles têm seis aulas de cada disciplina. Dessa forma, os professores também conseguem identificar melhor aqueles que apresentam uma maior defasagem”, destaca. 


 Em 2017, a escola passou a ofertar ensino integral também para as turmas de 7° ano (fundamental II) e 2° ano do ensino médio.  “Quando implantamos o ensino integral, fizemos várias reuniões com os pais para esclarecer o que aconteceria com os alunos durante a permanência na escola. Esse processo aconteceu ao longo de um ano, pois entendemos que é uma mudança radical para os estudantes. Pensando nisso, tornamos todos os espaços da escola e equipes organizadas de modo que todas as crianças e adolescentes sejam atendidos e observados o tempo todo”, diz.  


A escola foi a primeira no município a trabalhar com educação em tempo integral no ensino médio
A escola foi a primeira no município a trabalhar com educação em tempo integral no ensino médio | Gina Mardones - Grupo Folha
 




META ESTADUAL

O governo do Paraná anunciou na quarta (6), a meta de ter 60% das matrículas em ETI (Educação em Tempo Integral) até 2025. De acordo com a publicação, 15 escolas da rede estadual passarão a funcionar nessa modalidade a partir do ano que vem, totalizando 79 escolas com turmas de ETI no próximo ano letivo.

  

Nessas escolas, os alunos terão nove aulas por dia, com uma hora de almoço e dois intervalos de 15 minutos. Serão nove horas diárias de atividades e 45 horas semanais. Segundo informações da Agência  de Notícias do Paraná, serão ofertadas matérias eletivas aos estudantes que estimulem as competências - conhecimento; pensamento crítico, criativo e científico; repertório cultural; comunicação; cultura digital; trabalho e projeto de vida; argumentação; autoconhecimento e autocuidado; empatia e cooperação; responsabilidade e cidadania - previstas na BNCC (Base Nacional Comum Curricular). 

Tudo sobre:


Continue lendo


Últimas notícias