Citados evitam a imprensa
Arion Cruz dos Santos, uma das pessoas apontadas nos depoimentos como responsável em conseguir e apresentar as empresas para as licitações, também não têm endereço e telefone divulgado na lista de assinantes e não foi encontrado pela Folha em Curitiba. Mauro Pinheiro Júnior, advogado de Arion, está em viagem ao Rio de Janeiro e não retornou aos telefonemas da reportagem.
O empresário Cláudio Mena Barreto, outro acusado nessa intermediação, foi encontrado mas não quis falar sobre o assunto. Ele é diretor da Sistema Design, Arquitetura e Urbanismo, uma das empresas que também teria participado das licitações. Mena Barreto se restringiu a confirmar que já depôs e fez seus esclarecimentos ao Ministério Público no final de novembro. O promotor que o ouviu, Cláudio Esteves, avaliou, na época, que as informações prestadas eram importantes para as investigações.
A maioria das outras empresas curitibanas envolvidas no caso estão em férias coletivas, os diretores não são encontrados, não querem falar com a imprensa ou simplesmente não existem mais, como é o caso da Venelux e da Da Ros. Em seu depoimento, Arion Cruz disse que não tem nada a ver com toda essa situação. (G.F.)