Rubens Burigo Neto
De Curitiba
Foi liberado ontem pela manhã o último trecho de duplicação da Rodovia BR-116, que liga o Paraná a São Paulo. A obra inaugurada, Variante do Alpino, (fica distante aproximadamente 65 quilômetros da capital paranaense) tem 12 km de extensão e o tráfego é no sentido São Paulo-Curitiba. ‘‘O trecho fica numa área bastante acidentada, por isso exigiu um projeto de engenharia moderno, que evitasse a construção de curvas fechadas’’, destacou o diretor regional do Departamento Nacional de Estradas de rodagem (DNER), João Alberto Sautchuk.
A liberação desta parte da rodovia completa 143 km da Rodovia do Mercosul, desde a divisa de São Paulo até a divisa com Santa Catarina. Agora são 110 km de rodovia duplicada no lado paranaense e 200 km no lado paulista. Em São Paulo, informou o diretor regional do DNER, ainda faltam ser duplicados 100 km da BR-116 – 70 deles devem estar prontos até o fim do ano. Os 30 km restantes, na Serra do Cafezal (a aproximadamente 250 km de Curitiba), ainda dependem da conclusão dos projetos de engenharia, que atrasaram devido às alternativas que o traçado teve que obedecer para não causar impactos ambientais.
Para completar o projeto paranaense das obras, só falta a conclusão dos 45 km do Contorno Leste, na região metropolitana de Curitiba, prevista para o segundo semestre. Ao todo, o projeto de duplicação da BR-116, (desde a divisa com São Paulo até a divisa com Santa Catarina), vai custar R$ 300 milhões. ‘‘A duplicação proporciona maior capacidade de tráfego, com uma significativa dos custos operacionais – incluindo-se aí a redução no tempo de viagem – e o aumento da segurança para os usuários’’,
Modernização No traçado antigo da rodovia que fica na Serra do Alpino, que agora passa a ser utilizado no sentido Curitiba-São Paulo, existem 28 curvas (7,12 km em extensão) enquanto que o novo ficou com 12 curvas (3,95 km em extensão). A pista liberada também é mais reta, tem 7,74 km contra 4,69 km do antigo traçado. Sautchuk estima que os acidentes na região diminuam 50%.
Segundo estatísticas da Polícia Rodoviária Federal, no ano passado aconteceram 880 acidentes na BR-116, no trecho da rodovia que vai do trevo do Atuba (km 89) até a divisa com São Paulo (km 00). Os trechos onde mais ocorreram acidentes foram nos quilômetros 89 (71), km 29 (na região de Registro, 43) e km 33 (68).
Nos 205 km da rodovia que ficam no Paraná (entre as divisas com Santa Catarina e São Paulo), em 1999, 3.795 veículos se envolveram em 2.035 acidentes, com 1.602 feridos e 108 mortos. Até a zero hora de ontem, no mesmo trecho da BR-116 foram 115 acidentes, envolvendo 204 veículos, com cinco mortes e 62 pessoas feridas.