Paulo Pegoraro
De Cascavel
Um bebê de 4 meses de idade morreu em Cascavel possivelmente asfixiado pelo cobertor quando dormia com os pais e outro, de 2 meses, morreu em um incêndio que consumiu a casa onde estava, com outras crianças, em Boa Vista da Aparecida (65 km ao sul de Cascavel). No primeiro caso, a princípio considerado acidental pela polícia, os pais observaram que o bebê estava morto na madrugada de ontem. Em Boa Vista da Aparecida, há suspeitas de que o fogo teria sido provocado.
A criança que morreu em Cascavel é Andressa de Moraes, filha do trabalhador braçal Márcio de Moraes, 39 anos, e de Vilma de Moraes, 27 anos. O Instituto Médico-Legal ainda vai elaborar laudo sobre as causas da morte, prevalecendo a tese de que a menina foi sufocada sob o cobertor.
O incêndio em Boa Vista da Aparecida aconteceu na madrugada de anteontem. O menino que morreu queimado era filho de C.C., 15 anos, solteira. Ela havia saído para ir a um ‘‘bailão’’ e deixou a criança com a proprietária da casa, Maria Custódio. C.C. alega que foi ‘‘procurar emprego’’. Maria também tinha saído, deixando na casa três filhas menores.
O delegado de Boa Vista da Aparecida, Manoel Messias Pinto, disse ontem que, a princípio, o incêndio originou-se de uma vela acesa pelas crianças, que ainda serão ouvidas. Elas saíram correndo, quando perceberam o fogo. No entanto, a polícia investiga informações de um homem que pretendia se relacionar com Maria Custódio. Ele teria ameaçado queimar sua casa diante da negativa dela.