Barracão abriga
ex-funcionários
de Solano da Ros
A Folha não conseguiu localizar a Edificadora Veneto em Curitiba, que não possui endereço e nem telefone disponível na lista de assinantes. Nos contratos com o Município de Londrina a empresa teria vencido pelo menos 10 licitações diversas com a Comurb, entre elas para fazer um estudo do transporte coletivo do município. Solano da Ros, que seria o verdadeiro proprietário da Veneto, também não foi encontrado e não possui endereço e nem telefone na lista de assinantes.
O barracão de uma das empresas de Solano, onde antigamente funcionava uma construtora, revela que o empresário não tinha uma estrutura de porte para participar de licitações para grandes obras. Desativado há cerca de quatro anos, a empresa de construção, que segundo Osório Miola deve ser a Da Ros, ainda abriga alguns materiais e equipamentos que eram utilizados nas empreitadas.
Localizado em um lugar nada comum para uma construtora, o barracão fica quase que escondido na periferia do bairro São Bráz. Nas edículas anexas ao imóvel, além de Osório Miola mora também um outro ex-funcionário de Solano. Robson Delfino Campelo trabalhou anos com o empresário e hoje também está esquecido. Assim como aconteceu com Miola, Robson não teve seus diretos trabalhistas respeitados quando deixou a empresa de Solano.
Um terceiro funcionário, que também morava no local, machucou-se no trabalho, conseguiu aposentadoria e hoje tem seu paradeiro desconhecido. Atualmente o barracão continua, teoricamente, vigiado por Osório Miola, que faz uma vigilância automática, uma vez que mora no mesmo endereço. (G.F.)