Vários grupos de baitacas, aves silvestres da família dos papagaios, passaram a ser vistos nos últimos dias na zona urbana de Curitiba. Esse fenômeno tem sido observado por moradores e estudiosos das movimentações dessas aves. O ornitólogo (especialista em aves) Pedro Scherer, do Museu de História Natural de Curitiba, no entanto, estranha o fato desses grupos se deslocarem sobre a cidade.
‘‘Apesar de existirem muitas áreas verdes na Capital, essas aves vivem em meio à natureza, não entre os prédios de uma cidade grande’’, explica. No início desta semana foi observado um grupo de 32 aves na área central de Curitiba.
O nome científico da baitaca é ‘‘pionus maximiliani’’ e ela pode viver mais de 20 anos. Ave nativa do Brasil, a baitaca se alimenta basicamente de frutas e pode atingir até 27 centímetros. Segundo Scherer, várias pessoas já encontraram grupos de 40 a 60 aves e alguns com até mais de 100 pássaros. ‘‘Antes não havia registro de grupos numerosos como esses’’, disse.
As aves têm um colorido geral verde escuro, corpo robusto, cauda curta com a parte interior vermelha, alto do peito azul sobre o verde e bico amarelo claro. ‘‘Elas estão sempre em bandos ou em casais e repousam sempre no alto das árvores, repoduzindo em ocos naturais’’, disse o ornitólogo.
No Brasil, as aves vivem no Maranhão, Bahia, Piauí, Pernambuco, Alagoas e Espírito Santo até o Rio Grande do Sul, além de todo o Paraná e centro dos Estados de Mato Grosso e Goiás.