Funcionários da Secretaria Municipal de Saúde de Bela Vista do Paraíso (40 Km ao norte de Londrina) protestaram ontem à tarde em frente à Câmara de Vereadores reivindicando os salários, que segundo eles, estão atrasados há três meses. Eles alegam que apenas os funcionários que fizeram campanha política para o atual prefeito Florindo Palú (PTB) estão recebendo os salários em dia. O prefeito, que não se reelegeu, nega as acusações. Os servidores ameaçam entrar em greve hoje.
O presidente da Câmara de Vereadores, Fabrício Pastore (PPB), disse que o prefeito também não repassa a verba destinada ao Legislativo há quatro meses. A Câmara entrou com um mandado de segurança contra o prefeito. A Justiça concedeu liminar favorável, mas segundo Pastore, até ontem à tarde o prefeito não havia repassados os cerca de R$ 100 mil referentes à dívida.
‘‘Ele alega que a prefeitura não tem dinheiro. Mas sabemos que ele está realizando vários cortes para pagar as despesas que teve com a campanha política’’, acusa Pastore. Ele disse que a Câmara corre o risco de ter o fornecimento de energia elétrica, água e telefone suspensos por causa da falta de verbas.
O auxiliar de enfermagem Marco Aurélio Assunção dos Mares afirmou que apenas os pagamentos dos servidores que apoiaram a reeleição do prefeito estão sendo regularizados. ‘‘Tem gente que está passando fome só porque não apoiou o prefeito. Hoje, nós que estamos com os salários atrasados vamos entrar em greve. Com isso, os postos de saúde terão o funcionamento prejudicado’’, disse. Ele também afirmou que após as eleições o prefeito suspendeu a entrega de medicamentos básicos nos postos.
O prefeito disse que apenas os salários de setembro estão atrasados. Ele também afirmou que a prefeitura tem que repassar R$ 11 mil à Câmara e não R$ 100 mil, conforme informou Pastore. ‘‘Essas denúncias partem de adversários políticos e não têm fundamento. Hoje, vamos colocar todos débitos em dia’’, prometeu.