PREJUÍZO -

Associação Flávia Cristina tem fiação elétrica furtada

Centro clínico ficou no escuro e atendimentos tiveram que ser suspensos nesta quarta-feira

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

O centro clínico da Associação Flávia Cristina, na zona norte de Londrina, foi alvo de bandidos nesta quarta-feira (24). Durante o final da madrugada, criminosos furtaram a fiação elétrica do prédio, deixando o lugar no escuro e sem linha telefônica. Por conta do problema, os atendimentos nesta quarta tiveram que ser suspensos, prejudicando, pelo menos, 80 pessoas com deficiência.

 

Entidade fina no conjunto Vivi Xavier, na zona norte de Londrina
Entidade fina no conjunto Vivi Xavier, na zona norte de Londrina | Gustavo Carneiro - 07/01/2021
 

A caixa de energia foi quebrada e os fios que vão do poste até o imóvel foram arrancados, deixando um prejuízo que ainda está sendo calculado pela direção. Um eletricista deverá promover os reparos ainda nesta quarta para que tudo seja normalizado na quinta-feira (25). “Esse tipo de situação traz impacto para os pacientes e usuários. Teremos gastos (para arrumar)”, lamentou a diretora clínica do centro, Alana Barbosa Gomes. 


Entre os atendimentos que iriam acontecer nesta quarta-feira estão fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, psicopedagogia e terapia ocupacional. A escola, que fica no mesmo terreno, na avenida Saul Elkind, está funcionando normalmente. “Vamos bancar o prejuízo com arrecadação interna da associação. Se as pessoas quiserem ajudar com doações, profissionais que podem doar o serviço. Vamos ter que promover os reparos imediatamente, se não prejudica ainda mais sem o atendimento.” 


Este tipo de intercorrência não é novidade na associação. No ano passado, por exemplo, foram três furtos num intervalo de menos de dois meses. Num dos registros, foram levados notebooks, dinheiro e até a central de alarme. Nos outros os ladrões cortaram a fiação. “É uma situação recorrente e muito triste”, desabafou a diretora. 


A Associação Flávia Cristina existe desde 1996 e oferece suporte gratuito e especializado na área pedagógica e clínica para pessoas com deficiência. Além disso, a instituição também oferta acompanhamentos e encaminhamentos na área da assistência social, beneficiando centenas de pessoas. 


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo