Maigue Gueths
De Curitiba
Devido ao grande número de homicídios que vem ocorrendo este mês em Curitiba, as polícias Civil e Militar anteciparam para este final de semana a Operação ‘‘Noite de Paz’’, prevista para reiniciar apenas em fevereiro. Daqui para frente, as operações serão realizadas em todos os finais de semana, nas madrugadas das sextas e sábados, dando prioridade a bairros considerados perigosos, conforme mapeamento feito pela Polícia Civil.
A operação de ontem envolveu 139 pessoas, sendo 97 policiais militares e 42 policiais civis. Das 20 horas de sexta-feira às 4 horas de ontem foi feito um arrastão em 14 bairros de Curitiba: o anel central, Juvevê, Cabral, Bigorrilho, São Braz, Água Verde, Vila Guaíra, Capão Raso, Portão, Novo Mundo, Xaxim, Alto Boqueirão, Uberaba e parte do Guabirotuba.
Foram abordados 218 carros e 3.323 pessoas em estações-tubo, terminais de ônibus, bares, lanchonetes e em ônibus. Também foram vistoriadas seis boates e 189 bares. Destes, 53 foram fechados por não conter alvará, licença na Delegacia de Ordem Social ou por falta de higiene. Alguns destes bares clandestinos já haviam sido fechados em 99, mas reabriram por conta própria.
A operação resultou na apreensão de quatro adolescentes, que foram encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente, e na prisão de 14 adultos. Destes, seis foram presos em flagrante, sendo três por porte de maconha, um com haxixe, um com dose elevada de lança-perfume e um preso por porte ilegal e roubo de revólver calibre 38.
Outras sete pessoas foram indiciadas em inquérito por porte de arma branca. Também foram feitos dois Termos Circunstanciais, conforme prevê a lei 9.099, por comportamento suspeito. Estas duas pessoas foram ancaminhadas à Delegacia, ouvidas em cartório e intimadas a comparecer na segunda-feira no Juizado de Pequenas Causas.
Uma das preocupações da Secretaria de Segurança é o grande número de bares clandestinos que surgem na cidade, aumentando o risco de crescimento dos homicídios. A secretaria já enviou, inclusive, um documento à prefeitura mostrando as situações de risco da capital e solicitando a intervenção do órgão para o fechamento destes estabelecimentos. Segundo o assessor da Secretaria, Waldir Bicudo, ‘‘neste ano a secretaria vai bater duro nos bares ilegais e espera que a prefeitura ajude neste trabalho’’.
Os homicídios estão batendo recorde em Curitiba, com 27 casos até o dia 21, mais do que em todo mês de janeiro do ano passado, quando houve 24 assassinatos. Levantamento junto ao Instituto Médico-Legal e Delegacia de Homicídios mostra que em 72% destas ocorrências algum dos envolvidos continha alto teor alcoólico no sangue. Os principais objetivos da operação ‘‘Noite de Paz’’ é justamente fechar os bares clandestinos e identificar pessoas que ofereçam risco. Entre março e novembro do ano passado, foram fechados 450 bares irregulares durante estas ações conjuntas das polícias.