|
  • Bitcoin 142.067
  • Dólar 4,8773
  • Euro 5,1471
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 02/03/2022, 17:59

Apucarana tem 'onda' de furtos de esculturas em cemitérios

Segundo a prefeitura, criminosos levaram até estátuas com 150 quilos; segurança será reforçada

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 02 de março de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A Aserfa (Autarquia dos Serviços Funerários de Apucarana) confirmou nesta quarta-feira (2) uma série de furtos de esculturas e objetos em bronze nos dois principais cemitérios municipais: da Saudade e Cristo Rei. Seis boletins de ocorrência foram registrados junto à 17ª Subdivisão da Polícia Civil do Paraná, somente neste ano.

Imagem ilustrativa da imagem Apucarana tem 'onda' de furtos de esculturas em cemitérios Imagem ilustrativa da imagem Apucarana tem 'onda' de furtos de esculturas em cemitérios
|  Foto: Edson Denobi - Divulgação - PMA
 

O assunto foi tratado em reunião com o prefeito Júnior da Femac pelo diretor-presidente da autarquia, José Airton “Deco” de Araújo, e pelo superintendente Marcos Bueno. O prefeito informou ter determinada a ampliação da segurança nos cemitérios. “A vigilância será intensificada, principalmente à noite e madrugada, que são os períodos onde os furtos acontecem. A Guarda Civil Municipal também vai promover rondas com maior constância nestes horários para inibir novas ações”, disse. "Todas as ocorrências de Apucarana estão sendo investigadas pela Polícia Civil de Apucarana que, na madrugada desta quarta-feira, já recuperou algumas esculturas. A Polícia Militar também está atuando nestes casos e logo teremos conhecimento da face destes bandidos.”

“Ao contrário do que acontece comumente, com o furto de pequenas peças em bronze, eles estão levando estátuas com 100, 150 quilos. Não são criminosos comuns, isso é coisa de quadrilha”, informou o presidente da Aserfa.

Imagem ilustrativa da imagem Apucarana tem 'onda' de furtos de esculturas em cemitérios Imagem ilustrativa da imagem Apucarana tem 'onda' de furtos de esculturas em cemitérios
|  Foto: Edson Denobi - Divulgação - PMA
  

Ele frisa que trata-se de um crime contra o patrimônio público e particular. “Além do trabalho das polícias Civil e Militar, o Município conta com o apoio da população para chegarmos aos autores”, afirma Deco. De acordo com ele, câmeras de vigilância instaladas nas residências das imediações devem ajudar na identificação dos criminosos. “Mais do que o prejuízo financeiro, estamos falando de um crime que mexe com o sentimento das famílias. Sem dúvidas é revoltante ver o túmulo de um ente querido violado.” (Com informações da Prefeitura de Apucarana)

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1