O aposentado João Maria Gabardo, 53 anos, foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora do Carmo, em Curitiba, depois que familiares se desentenderam com médicos do Hospital de Clínicas (HC) no domingo. Parentes acusaram plantonistas de recusar atendimento a Gabardo. A direção negou. Por meio da assessoria de imprensa, a administração disse ontem que não faria pronunciamentos sobre a confusão.
De acordo com informações de funcionários da UTI do Hospital Nossa Senhora do Carmo, o quadro clínico do aposentado é regular e inspira cuidados. Não existe previsão de alta. Gabardo ficou internado na UTI do HC durante dois meses por causa de um derrame cerebral que o deixou em estado vegetativo. Ele recebeu alta na sexta-feira, mas voltou no sábado devido a novas complicações.
Uma das filhas dele, Aurora Aparecida Vilas Cordeiro, 33 anos, registrou boletim de ocorrência policial acusando o HC de ‘‘omissão de socorro’’. Médicos ouvidos pela reportagem relataram que Gabardo recebeu o atendimento necessário no pronto-socorro. Como não havia vaga para uma nova internação na UTI, eles iniciaram uma consulta a outros hospitais da cidade. Gabardo foi transferido para o Nossa Senhora do Carmo por volta das 17 horas de domingo.