Após mordida em mulher, IAP captura macaca que vivia no Bosque


Rafael Machado - Grupo Folha
Rafael Machado - Grupo Folha

O Instituto Água e Terra do Paraná, o antigo IAP (Instituto Ambiental), encaminhou para o zoológico de Cascavel uma macaca apreendida no último sábado (11) no Bosque Central de Londrina. A operação aconteceu depois que uma idosa de 71 anos foi mordida no calcanhar pelo animal. Ela foi encaminhada ao Hospital Evangélico, foi atendida e recebeu alta no mesmo dia. Técnicos seguem atrás de um segundo primata, que não foi capturado porque fica mais no alto das árvores e dificilmente desce ao chão. 


Após mordida em mulher, IAP captura macaca que vivia no Bosque
Arquivo/Bonde
 




Em nota enviada à FOLHA, o instituto explicou que a apreensão ocorreu "de forma natural, com utilização de frutas. A veterinária do órgão conseguiu pegá-la (macaca) no ombro de um senhor que frequenta o local diariamente. Por se tratar de um animal pequeno demais, o uso de dardos com tranquilizantes poderia acertar em local vital". 




Apesar de terem virado uma atração para quem passeia ou passa pelo Bosque todos os dias, os macaquinhos dividem opiniões de quem mora ou possui um comércio na região. Síndica de um prédio perto do local, Elisa Maria Ferraz Arruda acredita que todos os cuidados, inclusive os médicos, são necessários. "Tem muitos animais que são dóceis e até despertam um afeto das pessoas, que, na maioria das vezes, não estão atentas para os riscos. É claro que ela (macaca) ficou amiga de muita gente, mas foi bom enquanto ficou. Vamos esperar para saber como será o tratamento", pontuou. 


Essa não foi a única vez que um pedestre foi mordido por um macaco no mesmo endereço. Na ocasião, a vítima do "ataque" não se feriu, mas o animal pulou em sua bolsa para tentar pegar alimentos. 



Continue lendo


Últimas notícias